Quinta-feira, 9 de Outubro de 2008
Gosto de... enigmas

Brufe. Se alguém me elucidar, muito agradeço.

Artigos da mesma série:
publicado por Manuel Anastácio às 07:49
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
7 comentários:
De Gerana a 9 de Outubro de 2008 às 22:53
Brufe é um bairro na cidade V. n. famalicão, em Braga, Portugal (achei nos classificados - um hotel está sendo vendido neste bairro). Neste ano de 1706, quem era o invasor? A gente chega lá: é uma charada.
De Carla Cristiana de Carvalho a 11 de Outubro de 2008 às 19:05
Gerana, esta freguesia, Brufe, não é a de Vila Nova de Famalicão, mas de Terras de Bouro: uma aldeia mo meio da serra, isolada, a 11 km da Vila.

Ainda noutra página do mesmo site se pode ler: "na serra Amarela, onde se localiza o "trilho dos contrabandistas" e, como tal, de muito significado para contínuas gerações de terrabourenses para quem a serra Amarela foi, muitas vezes, o caminho encontrado para a sobrevivência económica e também para as várias incursões em Espanha para a emigração possível, servindo também esse caminho para receber muitos espanhóis foragidos da Guerra Civil de Espanha e que a aldeia de Brufe acolheu.

Mas a informação mais detalhada , encontrei-a no site: http://vento_norte.blogs.sapo.pt/9386.html onde se percebe que o privilégio de não dar homens ao serviço militar já vem desde há séculos atrás: "Pedimo-la logo em 1139, ainda antes da existência de Portugal, quando, na Veiga da Matança, em Valdevez, ajudámos (às ordens do normando Gonçalo de Abreu, descendente dos reis de França, vindo para Portugal com o Conde D. Henrique, donatário de Brufe, aldeia vizinha de Vilarinho) D. Afonso Henriques e os seus homens, contra o Reino de Leão. E lutámos por essa independência (a de Portugal), ao lado de D. João I e ao lado de D. João IV. Por isso é que, desde o princípio da nacionalidade, os reis de Portugal concederam às Terras dos Búrios (actual Terras de Bouro) o "privilégio" de os seus mancebos não participarem no exército do reino, com a condição de defenderem a fronteira com o país vizinho, nomeadamente na Portela do Homem, na Portela da Amarela, no Castelo de Bouro, etc. (...). "Privilégio" esse que perdurou até 1834."
De Manuel Anastácio a 11 de Outubro de 2008 às 19:51
Ora viva... Está melhor... ;)
De Luís Bonifácio a 10 de Outubro de 2008 às 00:12
Não há enigma nenhum. Basta ler a placa, está lá tudo.

Nesses tempos os direitos e obrigações que uma povoação tinha eram os mais variados e variavam de população para população.

Assim entre as obrigações que uma população tinha estava o pagamento de impostos em géneros ou dinheiro, dar mancebos para o exército.

Entre os direitos podia estar o acesso a bens da coroa, cobrar portagens, e receber outro tipo de contrapartidas.

No caso de Brufe, um dos direitos que tinha era o de não dar mancebos para o serviço militar, ao contrário do que sucedia com outras povoações ali perto. E porque é que Brufe tinha esse direito?
Basta ler a placa!
Porque os seus habitantes se notabilizaram por feitos heróicos na sua defesa, muito provavelmente durante a Guerra da Restauração, pois na Guerra da Sucessão Espanhola (1701-1714) não ocorreram quaisquer combates no norte do país.
De Gerana a 11 de Outubro de 2008 às 02:01
Não há charada, não há enigma, está tudo esclarecido. Que dali não iriam sair homens para a luta, estava claro. Que eram de antemão heróis, não estava clara a razão. Gostei muito de saber qual foi o episódio.
De Manuel Anastácio a 11 de Outubro de 2008 às 10:45
Hum... Para mim, a charada persiste. Continuo com as mesmas dúvidas que tinha. Com mais ainda, aliás.

Dizer de sua justiça

.pesquisar