Terça-feira, 17 de Agosto de 2004
Allegretto - Sétima Sinfonia (Beethoven)

Foi na maresia dos instantes,
em lágrimas de solidão,
que o silêncio irrompeu do caos,
envolto em espuma e tristeza...
Foi nos braços de dor das criaturas abandonadas
que alguém ergueu alguém
da lama onde morria.
Foi nos olhos de quem não chorava
que todas as lágrimas
se espelharam.
E se espalharam
no cântico lago do mundo.
Foi...
Foi no inclinar da cabeça servil
que os cabelos atados da escravatura
se soltaram em gemidos,
varrendo o caminho às crianças
que corriam em direcção aos abismos
com que a vida as abraçava...
Foi no ventre infecto do mundo
que o mármore encerrou todos os destinos
não destinados à podridão,
esculpidos no silêncio
em forma de lábios fechados
alheios a qualquer oração.
Artigos da mesma série:
publicado por Manuel Anastácio às 04:43
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
5 comentários:
De panpanisca a 1 de Setembro de 2004 às 11:32
Beethoven...sem palavras! Jocas
De eusou1anjo a 23 de Agosto de 2004 às 18:37
Adorei o teu blog!!! se poderes vai ver o meu!!
De Joo Miranda a 20 de Agosto de 2004 às 00:19
Beethoven sempre Beethoven ... e a nossa inspiração gostei
De Andra Motta a 17 de Agosto de 2004 às 13:09
Fant´stico teu poema! Gostei muito do visual do blog e dos demais textos. Felicidades.
De angeliser a 17 de Agosto de 2004 às 12:27
Olá vim visitar este cantinho poético e gostei bastante.
Continue com este belo blog.
Felicidades
www.poetaslunares.blogs.sapo.pt

Dizer de sua justiça

.pesquisar