Terça-feira, 29 de Julho de 2008
Sabe mais que uma paramécia?

Busby Berkeley Dreams, dos Magnetic Fields: uma coisa bonita para compensar a prosaica questão que se segue.

 

Hoje mandei ao provedor da RTP a seguinte mensagem, depois de ter visto o programa "Sabe mais que um miúdo de 10 anos". A mensagem não diz tudo o que devia porque as mensagens ao provedor não podem ultrapassar este número de caracteres:

 

A respeito do programa "Sabe mais que..." de hoje:

Numa das perguntas, mal formulada, a concorrente respondeu de forma errada e continuou a jogar. Na segunda resposta, a concorrente respondeu correctamente e foi eliminada, tendo sido aceite a resposta errada dos miúdos! É simplesmente revoltante, e faz-me pensar se quem define as questões sabe minimamente o que está a fazer. Já vi neste programa situações ambíguas e perguntas mal formuladas, mas nunca uma situação destas, em que a concorrente deveria, para que se faça justiça, continuar o jogo no ponto onde ficou.

1: Perguntava-se "que nome se dá à raiz das plantas que é ramificada?" - ora, esta questão é absurda, além de ambígua: ou se interpreta como "das raízes de uma planta, qual é a que é ramificada?" (nesse caso, a resposta seria: a raiz principal - que é ramificada, e a partir da qual saem as raízes secundárias); ou se interpreta como "qual é o tipo de raiz que apresenta ramificações" (e aí, a resposta seria "raiz aprumada", que é o tipo de raiz constituída por uma principal, da qual saem as secundárias).  Seja como for, volto a dizer que estas duas interpretações da questão são meramente um exercício de boa vontade da minha parte, já que a questão é absurda, ilógica, ambígua e reveladora de uma abissal ignorância. Contudo, qual não é o meu espanto quando os meninos respondem, todos, "raiz fasciculada" - o que é manifestamente errado, já que uma raiz fasciculada é uma raiz composta por um feixe de raízes principais que, inclusive, até podem nem ser ramificadas! É inadmissível que este erro se mantenha sem explicação clara por parte do apresentador num dos próximos episódios, já que estamos a falar de conteúdos programáticos da escolaridade obrigatória e não de um assunto obscuro só para iniciados.

A segunda questão, então, é confrangedora: "como se designam duas rectas que se cruzam num ponto, não formando ângulos rectos?" (cito de memória). A concorrente respondeu, correctissimamente, "rectas oblíquas" e foi eliminada. Os alunos responderam mal e passaram por sabichões. Não explico mais porque só me restam 95 caracteres. Basta ir a um livro de matemática. Dos mais básicos.

Obrigado. Espero resposta.

 

Faltou dizer que, mais importante que os direitos da concorrente em questão, está o dever da televisão pública em não deseducar.

 

O que aconteceu no programa de hoje derivou apenas da forma  quase fraudulenta como o jogo é feito. Os concorrentes, depois de errarem as questões a que podem errar (se forem salvos pelos miúdos) têm de admitir publicamente que não sabem mais que um miúdo de 10 anos. Ora, esta senhora (a concorrente), ainda que não tenha tido uma prestação brilhante, respondeu bem a uma questão a que todos os miúdos responderam de forma errada. Os técnicos do programa, que provavelmente vão analisando as questões e as respostas dadas, devem ter duvidado da resposta que tinham à frente - é que para uma questão tão simples, não era de crer que aqueles meninos tão inteligentes errassem em conjunto e, ainda por cima, com a mesma resposta (algo a que qualquer professor está muito habituado)... e devem ter ficado em dúvida.  Entre a sua ignorância e a certeza ingénua das crianças, preferiram ir atrás das crianças. Desta vez falharam na sua estratégia de fraude que consiste em não mostrar as respostas das crianças quando estas erram em conjunto, que é para poderem humilhar o concorrente obrigando-o a dizer que não sabe mais que um miúdo de dez anos. E deu em curto-circuito - aliás, o apresentador, Jorge Gabriel, que deve saber um pouco mais de geometria que os sabichões que dirigem o programa e os sabichões de dez anos, "corrigiu" a senhora demonstrando uma visível confusão, e limitou-se, claramente, a cumprir ordens - se lá de cima dizem que um ovo é um espeto, quem é ele para argumentar? Ainda assim, esqueceu-se - propositadamente? - de pedir a humilhação pública à dita senhora... A concorrente saiu claramente incomodada, sabendo perfeitamente que estava certa, mas resignou-se. Não devia. Devia ter reclamado.

 

Na geometria euclidiana, num mesmo plano (o que se segue pode não ser verdade para outras geometrias que, seja como for, não fazem parte do currículo do ensino básico):

Duas rectas que se cruzam são rectas concorrentes.

Todas as rectas que não são paralelas são concorrentes.

As rectas concorrentes podem ser perpendiculares (se dividirem o plano em quatro ângulos rectos) ou oblíquas (em todos os outros casos).

 

Se a RTP não apresentar, em horário nobre, as devidas correcções, é porque, como boa aluna que é, está à frente das orientações do Ministério da Educação que já podemos adivinhar para um futuro próximo, de modo a aumentar o sucesso escolar a que todos os meninos e meninas supostamente têm direito:

 

se os alunos respondem todos (ou quase todos, já agora) com uma resposta errada alternativa ao que é geralmente aceite pela comunidade científica, o professor deve aceitar a resposta da maioria dos alunos e corrigir o manual, a enciclopédia ou qualquer outra fonte que os contradiga.

 

É tão bom ser-se criança em Portugal... a chatice é que quando forem adultos maiores de tamanho, ninguém os tratará como crianças de pleno direito que ainda serão.

Artigos da mesma série:
publicado por Manuel Anastácio às 23:34
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
5 comentários:
De AMM a 31 de Julho de 2008 às 14:43
este programa e similares irritam-me solenemente...
não sei como é possivel semelhante atrocidade ficat impune
De Mateus Hidalgo a 3 de Agosto de 2008 às 06:07
Patético. Não se esqueça de dizer aqui se obteve ou não resposta.
De Manuel Anastácio a 3 de Agosto de 2008 às 10:40
Pois... tenho a impressão que o senhor deve estar de férias.
De Catarina Sousa a 21 de Janeiro de 2009 às 22:49
As rectas qe se cruzam num ponto não formando ângulos de 90º designam-se por Concorrentes , e não por obliquas ;D
De Manuel Anastácio a 21 de Janeiro de 2009 às 23:36
São rectas concorrentes, claro. Concorrentes oblíquas. Podia, por favor, de ter dó da minha inteligência? E, já agora, da sua.

Dizer de sua justiça

.pesquisar