Segunda-feira, 4 de Outubro de 2004
Os Bichos
Mulher e gato, de Toulouse Lautrec

 

Gérard de Nerval acabou os seus dias da forma que os seus poemas parecem predizer: na loucura… Foi apanhado um dia a conduzir, por uma trela, uma lagosta – porque não ladra, o que é uma grande vantagem em relação aos cães. O Mário Elias, de Mértola, tinha, supostamente, duas ratazanas que reconheciam nele a sua natural bondade. A Adília Lopes vive enterrada viva em gatos… Baudelaire também gostava destes bichos de garras afiadas… T. S. Eliot dedicou-lhes uma série de poemas – que com umas musiquitas ao jeito do Andrew Lloyd Webber, originou o musical “Cats”… O Zé Maria queria urinar em cima da ponte com dois gatitos-bomba debaixo do braço… Cá para mim, o tipo está a pensar em escrever um livro de poesia – aposto que não seria pior do que outros que vão sendo publicados…
Artigos da mesma série:
publicado por Manuel Anastácio às 19:36
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
.pesquisar