.Últimos bocejos

. Hold back your love, Whit...

. Hallelujah Money, Gorilla...

. 4

. 3

. Love & Hate, Michael Kiwa...

. T-shirt weather in the ma...

. Yonkers, Tyler, the Creat...

. 2

. 1

. i

. Anacreonte

. Educação do meu imbigo

. Voltei! Ou talvez não (co...

. Uma arte, de Elizabeth Bi...

. Uma arte, de Elizabeth Bi...

. Manual de Etiqueta e boa ...

. Aurora dos Pinheiros

. Versículos angélicos

. (19/01/2014)

. Cristianismo

. Arbeit macht frei

. Isso

. Limite

. Resignação solene

. LXXVIII

. Florentino Ariza num dia ...

. I've seen horrors... horr...

. Se bem me esqueço

. Enciclopédia Íntima: Pátr...

. LXXVII

. Experimental como o desti...

. Ruy do car(v)alhinho

. LXXVI

. Overgrown, James Blake

. MS MR - Hurricane

. Buscas pedidas: "filmes s...

. Para Thatcher

. S&M

. LXXV

. Mails da treta: Ímans e a...

. LXXIV

. Agnes Obel

. Amar, casar, perverter

. LXXIII

. LXXII

. LXXI

. Amar é dizer parvoíces

. Orgasm (Rock Cave), de Cr...

. LXX

. LXIX

.Velharias

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Agosto 2016

. Maio 2016

. Janeiro 2015

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Março 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

Quinta-feira, 28 de Junho de 2007
Wikipédia: Há quanto tempo...

Um artigo da Wikipédia (ataques bombistas em Londres a 7 de Julho de 2005) em modificações sucessivas.

Continuando a publicar as minhas respostas integrais ao Helder Beja:

 - Há quanto tempo começou a escrever na Wikipedia e porquê?

Comecei a escrever para a Wikipédia há mais de três anos. Encontrei-a por acaso, na sua versão em inglês, e descobri, pouco depois, que poderia existir um versão em português. Na altura existiam menos de 3000 artigos e a maioria era composta de textos inqualificavelmente mal escritos ou copiados em inglês da Wikipédia anglófona, com um aviso no cabeçalho a dizer que o artigo estava em tradução. Onde todos viram um site mal amanhado com mau conteúdo, eu preferi ver um embrião de algo novo. Ainda não entendia bem o quê – e ainda hoje estou a descobrir, três anos depois – mas a Wikipédia, mesmo que sucumbisse amanhã, devido às críticas e ataques que recebe de todos os lados, iria subsistir enquanto conceito. A Wikipédia é uma nova forma, dialogante, interactiva, participativa, de aprender. Repare que digo aprender e não "informar". A Wikipédia, pelo menos no seu estádio actual (e isto é especialmente verdade para a Wikipédia lusófona, em fase ainda mais embrionária que a anglófona) não é, no sentido próprio da palavra, uma enciclopédia. É uma enciclopédia mutante. Já lhe chamei "centro de negociação da verdade" numa resposta a um artigo do Pacheco Pereira, mas um colega Wikipedista meu, num acesso de mau humor próprio de uma certa camada de Wikipedistas, disse que isso era linguagem de "sociologista medíocre". Não sendo eu sociólogo, mas mais diletante que outra coisa, creio que o elemento da mutação foi o que mais me atraiu no projecto. E descobri algo que vale a pena. É importantíssimo que as pessoas utilizem a Wikipédia. Com uma condição: que entendam a forma como esta funciona e quais os seus reais objectivos. Quem usa a Wikipédia apenas para se informar está a cometer um erro enorme. A Wikipédia serve para aprender. Não para informar. São coisas absolutamente diferentes e que é necessário distinguir. A Wikipédia é, no fundo, um processo e não um resultado. Quem não entender isso devia abster-se de a usar. E isso inclui o meu pouco amigo Wikipedista que me chamou de "sociologista medíocre". Até este Wikipedista que eu volto a citar, no meu ponto de vista, não entende o que é a Wikipédia, ao criticar - no pior sentido da palavra - a minha visão crítica do que seja este projecto. Há muitos fãs da Wikipédia que a chamam de "maior enciclopédia do mundo" e outras aberrações publicitárias. A Wikipédia não é nada disso. Nem sequer é uma boa enciclopédia, apesar de, eventualmente, ter (alguns) óptimos artigos. Mas é melhor que uma Enciclopédia. É melhor que um centro de negociação da verdade. É… não sei o que é. Não sabia o que era. Mas vou continuar a tentar saber. E gostaria que todos chegassem a este ponto de não a conseguir definir para a melhor compreender.

Artigos da mesma série:
publicado por Manuel Anastácio às 09:58
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
|
1 comentário:
De Artur a 28 de Junho de 2007 às 22:05
O diletantismo, vício de que me confesso afectado, é algo em vias de extinção nesta era em que supostamente todos são especilistas em alguma coisa. O diletantismo é a virtude daqueles que não ligam a nichos.

Dizer de sua justiça

.Nada sobre mim
.pesquisar
 
.Fevereiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
.Artigos da mesma série

. notas

. cinema

. livros

. poesia avulsa

. só porque

. política

. curtas

. arte

. guimarães

. música

. estupidez

. traduções

. wikipédia

. religião

. poesia i

. gosto de...

. ono no komachi

. narrativas

. tomas tranströmer

. buscas pedidas

. plantas

. arquitectura

. blogues

. enciclopédia íntima

. blogs

. braga

. fábulas de esopo

. as quimeras

. gérard de nerval

. carvalhal

. animais

. cultura popular

. disparates

. Herbário I

. póvoa de lanhoso

. poesia

. estevas

. pormenores

. umbigo

. bíblia

. ciência

. professores

. vilar formoso

. barcelos

. cinema e literatura

. coisas que vou escrevendo

. curtíssimas

. Guimarães

. rádio

. receitas

. ribeira da brunheta

. teatro

. vídeo

. da varanda

. economia

. educação

. família

. leitura

. lisboa

. mails da treta

. mértola

. Música

. os anéis de mercúrio

. cachorrada

. comida

. cores

. dança

. diário

. direita

. elogio da loucura

. escola

. esquerda

. flores de pedra

. hip hop

. história de portugal

. kitsch

. memória

. ópera

. profissão

. recortes

. rimas tontas

. sonetos de shakespeare

. terras de bouro

. trump

. Álbum de família

. alunos

. ângela merkel

. arte caseira

. aulas

. avaliação de professores

. ayre

. benjamin clementine

. citações

. crítica

. ecologia

. edgar allan poe

. ensino privado

. ensino público

. evolucionismo

. facebook

. todas as tags

.O que vou visitando
.Segredos
  • Escrevam-me

  • .Páginas que se referem a este site

    referer referrer referers referrers http_referer
    .Já passaram...
    .quem linka aqui
    Who links to me?
    .Outras estatísticas
    eXTReMe Tracker
    blogs SAPO
    .subscrever feeds