Quinta-feira, 28 de Junho de 2007
Wikipédia: Há quanto tempo...

Um artigo da Wikipédia (ataques bombistas em Londres a 7 de Julho de 2005) em modificações sucessivas.

Continuando a publicar as minhas respostas integrais ao Helder Beja:

 - Há quanto tempo começou a escrever na Wikipedia e porquê?

Comecei a escrever para a Wikipédia há mais de três anos. Encontrei-a por acaso, na sua versão em inglês, e descobri, pouco depois, que poderia existir um versão em português. Na altura existiam menos de 3000 artigos e a maioria era composta de textos inqualificavelmente mal escritos ou copiados em inglês da Wikipédia anglófona, com um aviso no cabeçalho a dizer que o artigo estava em tradução. Onde todos viram um site mal amanhado com mau conteúdo, eu preferi ver um embrião de algo novo. Ainda não entendia bem o quê – e ainda hoje estou a descobrir, três anos depois – mas a Wikipédia, mesmo que sucumbisse amanhã, devido às críticas e ataques que recebe de todos os lados, iria subsistir enquanto conceito. A Wikipédia é uma nova forma, dialogante, interactiva, participativa, de aprender. Repare que digo aprender e não "informar". A Wikipédia, pelo menos no seu estádio actual (e isto é especialmente verdade para a Wikipédia lusófona, em fase ainda mais embrionária que a anglófona) não é, no sentido próprio da palavra, uma enciclopédia. É uma enciclopédia mutante. Já lhe chamei "centro de negociação da verdade" numa resposta a um artigo do Pacheco Pereira, mas um colega Wikipedista meu, num acesso de mau humor próprio de uma certa camada de Wikipedistas, disse que isso era linguagem de "sociologista medíocre". Não sendo eu sociólogo, mas mais diletante que outra coisa, creio que o elemento da mutação foi o que mais me atraiu no projecto. E descobri algo que vale a pena. É importantíssimo que as pessoas utilizem a Wikipédia. Com uma condição: que entendam a forma como esta funciona e quais os seus reais objectivos. Quem usa a Wikipédia apenas para se informar está a cometer um erro enorme. A Wikipédia serve para aprender. Não para informar. São coisas absolutamente diferentes e que é necessário distinguir. A Wikipédia é, no fundo, um processo e não um resultado. Quem não entender isso devia abster-se de a usar. E isso inclui o meu pouco amigo Wikipedista que me chamou de "sociologista medíocre". Até este Wikipedista que eu volto a citar, no meu ponto de vista, não entende o que é a Wikipédia, ao criticar - no pior sentido da palavra - a minha visão crítica do que seja este projecto. Há muitos fãs da Wikipédia que a chamam de "maior enciclopédia do mundo" e outras aberrações publicitárias. A Wikipédia não é nada disso. Nem sequer é uma boa enciclopédia, apesar de, eventualmente, ter (alguns) óptimos artigos. Mas é melhor que uma Enciclopédia. É melhor que um centro de negociação da verdade. É… não sei o que é. Não sabia o que era. Mas vou continuar a tentar saber. E gostaria que todos chegassem a este ponto de não a conseguir definir para a melhor compreender.

Artigos da mesma série:
publicado por Manuel Anastácio às 09:58
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
1 comentário:
De Artur a 28 de Junho de 2007 às 22:05
O diletantismo, vício de que me confesso afectado, é algo em vias de extinção nesta era em que supostamente todos são especilistas em alguma coisa. O diletantismo é a virtude daqueles que não ligam a nichos.

Dizer de sua justiça

.pesquisar