Domingo, 18 de Março de 2007
Piedade deste monstro ocupado

Philip Glass Ensemble no Sadler's Wells Theatre, Londres, 1982. "Train/Spaceship" da Ópera "Einstein on the Beach". Parte I


Piedade deste monstro ocupado, humaninanidade,

não tenhais. O progresso é uma confortável doença:
a tua vítima (seguramente para lá de vida e morte)

brinca com a magnitude da sua pequenez
--- electrões divinizam uma lâmina de barbear
numa cordilheira; lentes expandem
o indesejo pelo quandonde que se curva, até que o indesejo
volta a si não-mesmo
                          Um mundo fabricado
não é um mundo concebido --- piedade da pobre carne

das árvores, pobres estrelas e pedregulhos, mas nunca desta
refinada espécie de ultraomnipotência

hipermágica. Nós, médicos, sabemos

se é um caso desesperado --- ouvi: há o diabo
de um belíssimo universo na porta ao lado; vamos embora



Tradução de Manuel Anastácio de um poema de
e. e. cummings

Philip Glass Ensemble no Sadler's Wells Theatre, Londres, 1982. "Train/Spaceship" da Ópera "Einstein on the Beach". Parte II
Artigos da mesma série: ,
publicado por Manuel Anastácio às 16:55
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
.pesquisar