.Últimos bocejos

. Os filhos não devem ser o...

. Todas as águas

. Todos os poemas

. Hold back your love, Whit...

. Hallelujah Money, Gorilla...

. 4

. 3

. Love & Hate, Michael Kiwa...

. T-shirt weather in the ma...

. Yonkers, Tyler, the Creat...

. 2

. 1

. i

. Anacreonte

. Educação do meu imbigo

. Voltei! Ou talvez não (co...

. Uma arte, de Elizabeth Bi...

. Uma arte, de Elizabeth Bi...

. Manual de Etiqueta e boa ...

. Aurora dos Pinheiros

. Versículos angélicos

. (19/01/2014)

. Cristianismo

. Arbeit macht frei

. Isso

. Limite

. Resignação solene

. LXXVIII

. Florentino Ariza num dia ...

. I've seen horrors... horr...

. Se bem me esqueço

. Enciclopédia Íntima: Pátr...

. LXXVII

. Experimental como o desti...

. Ruy do car(v)alhinho

. LXXVI

. Overgrown, James Blake

. MS MR - Hurricane

. Buscas pedidas: "filmes s...

. Para Thatcher

. S&M

. LXXV

. Mails da treta: Ímans e a...

. LXXIV

. Agnes Obel

. Amar, casar, perverter

. LXXIII

. LXXII

. LXXI

. Amar é dizer parvoíces

.Velharias

. Agosto 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Agosto 2016

. Maio 2016

. Janeiro 2015

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Março 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

Quarta-feira, 14 de Março de 2007
Enciclopédia íntima: A

A, de Hans Weiditz, 1521

A letra A terá nascido da cabeça de um bovino. Má ideia essa, a de crer que o alfabeto nasceu dos miolos de um ruminante, a não ser que se queira, com isso, dizer que a escrita deve ser ingerida com sofreguidão, fermentada no íntimo, e, depois, regurgitada em pedaços prontos a mastigar nos momentos de repouso, antes de novamente os ingerir e assimilar ao próprio corpo que nos carrega.

Sendo o A a primeira letra, é de puro bom senso acreditar que o tempo a investiu de significados profundos, ocultos - ou nem tanto. O ocultismo é apenas uma alegre brincadeira de palavras para enganar a ignorância. A grande verdade da Alquimia e da Cabala reside nessa mesma transformação da realidade material, avessa ao nosso desejo, através da palavra e do símbolo. A anedota dos cabalistas que faziam o seu almoço com as letras da Torah terá aqui a sua plena justificação.

Segundo o apócrifo Tomé, Jesus, pequenino, muito pouco respeitoso para com a autoridade do seu professor Zaqueu, terá explicado que a letra era composta de linhas e traços médios, unidos transversalmente, conjuntos, elevados e divergentes. E seriam de três espécies de sinais: homogéneos, equilibrados e proporcionados.

Há, de facto, na letra A um certo cheiro a início. É uma seta que aponta para o alto. É a digna inicial, ainda, da Arte e da Arquitectura. Há quem veja nela, aliás, um telhado - um Abrigo. Mas não. É uma porta Aberta.

E é graças a ela que tanto amo as Enciclopédias. Incluindo a Britânica e a Luso-Brasileira da Verbo; a Encyclopédie dos revolucionários Diderots e as Etimologias do Santo protector da Internet, Isidoro de Sevilha. Incluindo, também, as imaginadas por Jorge Luís Borges e que folheio em sonhos.

Foi o A a primeira entrada em que trabalhei na Wikipédia. Não conseguiria resistir ao simbolismo dos dois traços inclinados a suportar a trave horizontal (ou será o contrário, com a trave a manter unidas as duas inclinações opostas, como que numa alegoria de tensegridade?). Foi assim que ficou o artigo, na altura, depois de algumas contribuições, também, do reaccionário João Miranda (que alguns conhecerão do Blasfémias) e de um decepcionante Jorge Candeias que na altura era o meu Mestre e Guia mas que, depois, me revelou uma triste faceta mal humorada e igualmente reaccionária. Enfim. Nem todos compreendem a Natureza do A.

Eu não compreendo.

Mas gostava de compreender.
Artigos da mesma série: ,
publicado por Manuel Anastácio às 20:56
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
|
4 comentários:
De Jorge a 15 de Março de 2007 às 00:05
Pois é. É uma decepção pegada quando as pessoas não aceitam de sorriso nos lábios (venhem cá esses ossos ó Estaline!) quando são comparadas com alguns dos maiores criminosos do século. Diria mesmo, como o MEC, que é fodido.

Triste, decepcionante e reaccionário Anastácio que não percebe coisa tão simples.

Enfim... cada um é como cada qual, suponho.
De Manuel Anastácio a 15 de Março de 2007 às 01:52
:) Por aqui? eheheh...
De Manuel Anastácio a 15 de Março de 2007 às 01:59
Mas mantenho o que disse: mal humorado e decepcionante (nunca esperava da tua parte a reacção que tiveste a uma simples chalaça dita sem qualquer má intenção - mas isso, já vi que nunca compreenderás: é por isso que mantenho o adjectivo "decepcionante"). Estalinista, tu, nem por isso. Eu, reaccionário? Talvez. Em algumas coisas. :)
De Artur a 15 de Março de 2007 às 20:08
Vá lá, meninos, portem-se bem...

Dizer de sua justiça

.Nada sobre mim
.pesquisar
 
.Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.Artigos da mesma série

. notas

. cinema

. livros

. poesia avulsa

. política

. só porque

. curtas

. arte

. guimarães

. música

. estupidez

. traduções

. wikipédia

. religião

. poesia i

. gosto de...

. ono no komachi

. narrativas

. tomas tranströmer

. buscas pedidas

. plantas

. arquitectura

. enciclopédia íntima

. blogues

. braga

. fábulas de esopo

. as quimeras

. gérard de nerval

. carvalhal

. animais

. blogs

. cultura popular

. disparates

. Herbário I

. poesia

. póvoa de lanhoso

. estevas

. pormenores

. umbigo

. bíblia

. ciência

. professores

. vilar formoso

. barcelos

. cinema e literatura

. coisas que vou escrevendo

. curtíssimas

. educação

. Guimarães

. rádio

. receitas

. ribeira da brunheta

. teatro

. vídeo

. da varanda

. economia

. família

. leitura

. lisboa

. mails da treta

. mértola

. Música

. os anéis de mercúrio

. cachorrada

. comida

. cores

. dança

. diário

. direita

. elogio da loucura

. escola

. esquerda

. flores de pedra

. hip hop

. história de portugal

. kitsch

. memória

. ópera

. profissão

. recortes

. rimas tontas

. sonetos de shakespeare

. terras de bouro

. trump

. Álbum de família

. alunos

. ângela merkel

. arte caseira

. aulas

. avaliação de professores

. ayre

. benjamin clementine

. citações

. crítica

. ecologia

. edgar allan poe

. ensino privado

. ensino público

. evolucionismo

. facebook

. todas as tags

.O que vou visitando
.Segredos
  • Escrevam-me

  • .Páginas que se referem a este site

    referer referrer referers referrers http_referer
    .Já passaram...
    .quem linka aqui
    Who links to me?
    .Outras estatísticas
    eXTReMe Tracker
    blogs SAPO
    .subscrever feeds