Domingo, 11 de Março de 2007
Herbário I - Vigna unguiculata

Feijão-frade (Vigna unguiculata) in Flora de Filipinas, de Francisco Manuel Blanco (1880-1883?)

Não te deixes tentar já
Pelo fruto verde,
Pelo verde fruto,
E luzidia flor
Que em arremedo bruto
De amor
Se oferecem aos teus olhos
De negra pupila.
Que a pupila negra,
Negra pupila,
Atrás da gelosia,
Nada mais é, à luz do próprio dia,
Que uma sombra negra
Uma negra sombra, sombria
Que aos baixos ramos da rua se alia,
Em enganosos tramos de ilusão.
Lá, atrás, na tesselada prisão
Dos frutos e dos dias,
Nas gelosias
Finge madurez
Sendo verde, aquele amor
Verde, fruto das gelosias.
É verdade que te segue
Esse verde vulto escondido
Que só com negro olhar
Nos teus ombros pousa
Verde,
Com a carícia própria de uma semente
Que o vento arrasta
Em branco farrapo de algodão.
Não te deixes tentar já,
Nem subas já esta noite à sua varanda.
Anda,
Ouve-lhe primeiro a voz.
Toca-lhe a pele com o teu desejo
- mas não a queiras já.
Espera que o rosto se desvele
Com a madrugada,
Antes que a madrugada vos desvele,
Nas manchas claras
Róseas
E estriadas
Dos padrões tesselados das gelosias,
Colhendo a cor verde,
Que assim se quis verde,
Dos frutos e dos dias.

Artigos da mesma série:
publicado por Manuel Anastácio às 02:36
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
.pesquisar