Quinta-feira, 25 de Janeiro de 2007
Herbário I - Galium aparine

Fumária (Fumaria officinalis) e amor-de-hortelão (Galium aparine)  - Foto minha, em Creative Commons


Fustigou-te a dor
Sem face, da febre.
E julgaste o amor
Lesto como lebre
Sumindo no chão.
E julgaste o amor
Sinónimo à dor
E alucinação.

Revelei-te a fronte
Que só Deus conhece
- Que a Deus aborrece
Ser apenas fonte. 

Banhou-te o suor
Glabro do desgosto
Chamado a depor.
E logo o teu rosto
Se fechou ao meu.
E julgaste o amor,
Sinónimo à dor,
Como um fariseu.

Com os meus cabelos
Enxuguei-te as dores.
Fossem elas flores,
E não pesadelos… 

Tocou-te o calor
Sem dedos, do ar
Podre, sem odor.
E então, amar
Pareceu vaidade.
E julgaste o amor
Sinónimo à dor
E ingenuidade.

Revelei-te a pele
Através dos dedos
Escrevendo segredos
Em tão nu papel. 

E julgaste o amor
Sinónimo à dor
E afim ao mel.

Artigos da mesma série:
publicado por Manuel Anastácio às 01:41
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
3 comentários:
De Jofre Alves a 27 de Janeiro de 2007 às 05:30
Passei para ver os amigos, apreciar o blogue, sempre com bom-gosto e qualidade, factor que me leva a visitá-lo para deixar o desejo dum óptimo fim-de-semana, apesar deste frio que enregela, mas como diz o povo «mãos frias, coração quente».
De Luis Piteira a 28 de Janeiro de 2007 às 21:53
Visitem o novo espaço com arte original e possibilidade de interagir e publicar.

artoriginal.blogs.sapo.pt

Bem haja a todos!
De Rosa a 29 de Janeiro de 2007 às 11:02
Gosto tanto destas ervinhas às quais quase ninguém liga!
Amor-de-hortelão: Raspa-língua (na Madeira). Planta usada como diurética. As sementes torradas podem ser empregadas como sucedâneas do café.
Fumária: Erva-molarinha, Erva-pombinha. É tónica, depurativa, aperitiva,diurética e antiescorbútica.
Espero que o herbário não se fique por aqui.

Dizer de sua justiça

.pesquisar