Domingo, 21 de Janeiro de 2007
Curta 21

Bem, não estava à espera, mas a lista dos 100 filmes da minha vida está a provocar curiosidade... E creio que causará ainda mais decepção: é que os filmes da nossa vida podem bem ser os piores filmes da vida de qualquer um dos nossos amigos. Mas a questão recorrente é: Quando publicas a lista?... A resposta é simples! Eu não vou publicar a lista! Ela ir-se-á publicando filme após filme, onde falarei deles e justificarei a paixão que por eles nutro. Os 10 filmes do topo estão estáveis e não têm saído do lugar. Os outros é que vão mudando de dia para dia, uns subindo, outros descendo e outros sendo obrigados a sair, não por não merecerem aí constar, mas porque a lista pretende ser, também, representativa do Universo dos filmes que me acompanharam - enquanto que se fosse apenas a referir aqueles que mais amo, teria uma data de Hitchcocks a ocupar o lugar de outros... É por isso, que hoje me vi obrigado a arrancar dois filmes da minha lista de uma forma absolutamente anormal: a "Janela Indiscreta", um título quase óbvio neste tipo de lista - e "Hiroshima, mon Amour" de Alain Resnais... Isto, enquanto permanecem filmes que, não vencendo na balança dos afectos, teriam de vencer na batalha pela biodiversidade... É um mundo cruel... Entretanto, posso dar a notícia de que vou começar a revelar, ainda não muito em breve, um por um, primeiro, os que vão do 11.º até ao que está em 100.º lugar. Só depois revelarei os 10 primeiros. Será interessante ouvir críticas às minhas escolhas, caso a caso. Peço desculpa aos mais impacientes, mas não quero colocar a lista imediatamente, por diversas razões. Terá de ser gota a gota. Além de que quero dar algo mais que uma simples lista, mas um mapa de sentimentos e deslumbramentos.
Artigos da mesma série: ,
publicado por Manuel Anastácio às 22:16
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
2 comentários:
De Inês Ramos a 23 de Janeiro de 2007 às 03:12
Hummm...
Ok!
:-)
De Paulo Hasse Paixao a 23 de Janeiro de 2007 às 17:14
Claro que a curiosidade dá em comichão. Mas nada de pressas. Tens todo o tempo do mundo.

Dizer de sua justiça

.pesquisar