Quarta-feira, 30 de Março de 2005
A Blog is an insufflated dog

Joan Miró, pessoas, cão e sol

"Havia em Sevilha um doido, que deu no mais gracioso disparate e teima que nunca se viu. E foi que fez um canudo de cana pontiagudo, e, em apanhando um cão na rua, ou em qualquer outra parte, prendia-lhe uma pata com os pés, com a mão levantava-lhe outra, e, como podia, lá lhe adaptava o canudo em sítio, em que, soprando-lhe, o punha redondo como uma péla, e, quando o apanhava deste modo, dava-lhe duas palmaditas na barriga, e soltava-o, dizendo aos circunstantes (que sempre eram muitos): Pensarão agora Vossas Mercês que é pouco trabalho inchar assim um cão. Pensará Vossa Mercê agora que é pouco trabalho fazer um livro." - Miguel de Cervantes in "Dom Quixote de la Mancha"
Artigos da mesma série:
publicado por Manuel Anastácio às 03:21
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
4 comentários:
De Anónimo a 22 de Novembro de 2005 às 15:47
Sempre me apaixonou a figura de D. Quixote.Ainda miúda enamorei-me pela luta contra moínhos de vento, eu que na altuta ainda não tinha visto nenhum.Mal imaginava que, como ele, seria também uma perseguidora incansável de utopias.
Felizmente o vento tem-me ajudado e tem trazido até mim poeiras de sonho que teimam em manter-me àlerta.
Grata por este belo extracto.MH
De Guilherme a 20 de Abril de 2005 às 14:42
Legal o visual do seu blog!

Um abraço do "fanático religioso chato" da Wikipédia!

:-)
De Virgnia Pedras a 1 de Abril de 2005 às 16:46
lol...pobre cão...
De milas a 9 de Outubro de 2007 às 08:13
não querendo interferir com a liberdade artística e de interpretação de cada um, a imagem está ao contrário (de pernas para o ar)... respeitemos a vontade de Miró...
com os melhores cumprimentos,
milena

Dizer de sua justiça

.pesquisar