.Últimos bocejos

. Os filhos não devem ser o...

. Todas as águas

. Todos os poemas

. Hold back your love, Whit...

. Hallelujah Money, Gorilla...

. 4

. 3

. Love & Hate, Michael Kiwa...

. T-shirt weather in the ma...

. Yonkers, Tyler, the Creat...

. 2

. 1

. i

. Anacreonte

. Educação do meu imbigo

. Voltei! Ou talvez não (co...

. Uma arte, de Elizabeth Bi...

. Uma arte, de Elizabeth Bi...

. Manual de Etiqueta e boa ...

. Aurora dos Pinheiros

. Versículos angélicos

. (19/01/2014)

. Cristianismo

. Arbeit macht frei

. Isso

. Limite

. Resignação solene

. LXXVIII

. Florentino Ariza num dia ...

. I've seen horrors... horr...

. Se bem me esqueço

. Enciclopédia Íntima: Pátr...

. LXXVII

. Experimental como o desti...

. Ruy do car(v)alhinho

. LXXVI

. Overgrown, James Blake

. MS MR - Hurricane

. Buscas pedidas: "filmes s...

. Para Thatcher

. S&M

. LXXV

. Mails da treta: Ímans e a...

. LXXIV

. Agnes Obel

. Amar, casar, perverter

. LXXIII

. LXXII

. LXXI

. Amar é dizer parvoíces

.Velharias

. Agosto 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Agosto 2016

. Maio 2016

. Janeiro 2015

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Março 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

Quarta-feira, 1 de Novembro de 2006
Wikipédia II

Pormenor de "As Tentações de Santo Antão" de Hieronymus Bosch (1450 – 1516) - Museu Nacional de Arte Antiga

Fui contactado por Wladimir Mendes, estudante do curso de Sistemas de Informação, na PUC de Minas Gerais, em Belo Horizonte, para que respondesse a algumas questões  referentes ao funcionamento e objectivos da Wikipédia (da qual tenho andado arredado por falta de tempo). Eis as minhas respostas:

1) De um modo geral, como é o funcionamento da Wikipedia?

A Wikipedia é um Wiki (palavra que, em havaiano significa “rápido”). É constituída por uma base de dados, em princípio acessível a todos que tenham ligação à Internet, e cujos conteúdos podem ser livremente modificados por quem os consulta, em tempo real.


2) Qual é o objetivo da Wikipédia?

A Wikipédia pretende ser um estaleiro de construção de conteúdos informativos que, depois, poderão ser utilizados por terceiros, desde que mantenham a licença de GFDL – isto é, os conteúdos devem continuar a permitir a produção de obras derivadas e a livre cópia e distribuição, com fins comerciais ou não. Não pretende ser uma enciclopédia a sério – mas poderá dar origem a uma enciclopédia a sério. Basta que alguém seleccione a informação relevante da Wikipédia, confira a sua validade e a publique, livremente, em GFDL. Assim, o objectivo da Wikipédia centra-se mais na construção de conteúdos do que na consulta de conteúdos. A Wikipédia é o local onde todos são convidados a participar na construção de uma enciclopédia. Até pessoas mal intencionadas podem participar: ainda que se tentem controlar essas participações de diversas formas, ninguém pode garantir que os conteúdos da Wikipédia sejam fiáveis. Mas isso não estorva em nada o objectivo principal da Wikipédia: gerar conteúdos que poderão, posteriormente, ser utilizados em obras de referência, depois de analisados por pessoas idóneas (idoneidade relativa, é certo, consoante a exigência do leitor, que não é igual para um aluno do ensino obrigatório e para um aluno que esteja fazendo um mestrado).

3) O conteúdo, é definido por quem?

 O conteúdo é definido por todos os utilizadores da Wikipédia que pretendam nela participar. Qualquer pessoa pode modificar e criar artigos, corrigir erros e expandir os conteúdos. As contribuições de cada pessoa, anónimas ou identificadas, são registadas no histórico de cada artigo, que também é de livre acesso a qualquer pessoa.

4) Como é o processo de colaboração?

Os utilizadores, ao acederem a um artigo da Wikipédia, podem alterá-lo como bem entenderem. Serão os outros utilizadores, que têm acesso a uma lista das últimas alterações (a página das mudanças recentes) que decidirão se essa modificação foi positiva para o artigo ou não. Se a modificação for considerada como vandalismo (eliminação de informação, inserção de texto com informações erradas, sem sentido ou parciais), há a possibilidade de reverter o artigo para a última edição não vandalizada.

Há ainda a possibilidade – caso o utilizador não queira editar directamente o artigo – de se debater o conteúdo numa página anexa ao artigo – a discussão do mesmo – de modo a chegar-se a um consenso sobre a forma ideal de redacção do mesmo.

5) O que habilita um usuário a colaborar? Exemplo, nível de conhecimento...

Todos os utilizadores são bem vindos, qualquer que seja o nível de conhecimento. Um aluno do ensino básico pode até ser mais útil para os objectivos da Wikipédia que um Doutorado (ainda que estes últimos fossem, obviamente, mais que bem vindos). É a própria comunidade de utilizadores que decide quais são os utilizadores que não são dignos de confiança. Alguns utilizadores têm a sua conta na Wikipédia bloqueada indefinidamente por terem abusado da sua liberdade de edição.

6) A colaboração é confiável?

Esse é um problema que não tem qualquer implicação no objectivo primordial da Wikipédia. Muitas das contribuições não são confiáveis e são de carácter enganoso e fraudulento. Algumas dessas contribuições conseguem passar à vigilância dos utilizadores bem intencionados. 

Resumindo:

- Os textos da Wikipédia, tal como são postos à disposição no site, são confiáveis? Não. 

- Isso significa que a Wikipédia seja um projecto inútil? Não.

- Existe alguma fonte de informação 100% confiável (incluindo a que é publicada directamente por instituições científicas e creditadas)? Não. 

- Isso significa que não podemos acreditar em texto algum, já que todos podem conter inverdades, voluntariamente ou não? Não.

De facto, pessoalmente, tenho mais confiança em qualquer artigo da Wikipédia do que num artigo assinado numa enciclopédia convencional, já que, quando leio o artigo da Wikipédia, estou preparado para encontrar erros, omissões e informações tendenciosas (tenho, portanto, uma atitude crítica e activa em relação ao texto) enquanto que ao ler um artigo convencional (ainda mais se for assinado por alguma figura considerada idónea), tenho tendência a considerar o texto como intocável, como se fosse emanado de uma instância superior (é uma atitude inevitavelmente mais passiva e onde o espírito crítico tem menor área de intervenção – de facto, a autoridade que escreveu esse artigo tem acesso a instrumentos e conhecimentos que não me são acessíveis, ao contrário do que acontece na Wikipédia, em que se exige que os conteúdos sejam verificáveis através da consulta de outras fontes bibliográficas).

7) Como o conteúdo inserido por um usuário é validado?

Em princípio, se uma contribuição não é revertida, é porque alguém a considerou válida. Mas, como a Wikipédia é resultado de várias contribuições voluntárias, muitos vandalismos podem permanecer por muito tempo num artigo. A validação tem de ocorrer, sempre, na cabeça de quem lê o artigo. A Wikipédia não serve pratos feitos. Serve ingredientes (incluindo alguns potencialmente envenenados): cabe ao leitor, com o seu espírito crítico, decidir o que existe de útil ou não naquele texto. E, se tiver conhecimento sobre o assunto, tem a obrigação cívica de eliminar ou transformar os conteúdos “envenenados” em conteúdos aceitáveis. A validação é um processo constante.

8) Existe vandalismo na Wiklipedia?

Claro que sim.

9) Se sim, como este vandalismo é administrado?

O vandalismo não é administrado. É controlado, tanto quanto possível, por todos os utilizadores, que têm a possibilidade de colocar online a última versão de uma página antes de ter sido vandalizada. Existe, portanto, a crença de que o trabalho positivo da comunidade é superior ao vandalismo. Quem não tem crença nessa superioridade tem tendência a participar no projecto de forma negativa. É uma luta constante entre utilizadores que acreditam na Wikipédia e utilizadores que querem, à força, demonstrar que a Wikipédia é um projecto falhado desde a origem. Claro que ficarei sempre a torcer pelos primeiros (e a jogar do seu lado).

10) Quem administra a Wikipedia?

A administração da Wikipédia é da responsabilidade de todos. Todos podem decidir sobre  assuntos que a ela se referem (incluindo a participação em votações do interesse da comunidade, desde que tenham um mínimo de contribuições e um mínimo de tempo de participação no projecto após o seu registo). Existem, contudo, alguns utilizadores, designados como “administradores” na Wikipédia em português, que são escolhidos por voto pela comunidade de utilizadores e que têm a possibilidade de eliminar artigos e de bloquear o acesso à edição por parte de determinados utilizadores. Mas até estas acções podem ser revertidas por outros administradores.

11) O que torna a Wikipedia atraente, levando em consideração, como base de consulta? 

É atraente porque foca temas que, geralmente, não têm lugar em enciclopédias convencionais. É atraente porque se tem noção de que os seus conteúdos podem estar errados (sabemos com o que podemos contar – o que nem sempre acontece com textos escritos por autoridades que, ao abrigo da sua autoridade, pretendem passar por verdade aquilo que é apenas uma opinião). É atraente porque é o resultado de um trabalho colaborativo – pode incluir os prós e os contras a respeito de alguma polémica (veja-se, por exemplo, o artigo sobre o Referendo sobre a proibição da comercialização de armas de fogo e munições, no Brasil). É atraente porque tem uma página de discussão onde nos podemos inteirar sobre os principais problemas que envolveram a criação do artigo.

Mas, acima de tudo, a Wikipédia é atraente como base de participação, e não como base de consulta. Espero que no futuro existam páginas da internet, ou outros suportes, que incluirão artigos da Wikipédia, validados individualmente. Esses sim, poderão ser realmente atraentes como fonte bibliográfica. Hoje em dia, quem quer que use a Wikipédia como fonte bibliográfica deve referir claramente qual a edição do artigo a que se refere (basta verificar no histórico do artigo) e dar a sua opinião, criticamente sustentada, sobre a possível validade ou não do seu conteúdo. Não é possível ser de outra forma.

12) O que leva os usuários a colaborarem?

A luta do bem contra o mal. A luta da luz contra as trevas. Pode parecer maniqueísta, mas quem participa de forma positiva, acredita que está fazendo algo de bom para a humanidade em geral. Quem vandaliza as páginas da Wikipédia está, pela sua descrença (por mais bem humorado que seja o vandalismo), a participar no reverso negro da humanidade, já que está a contribuir para o falhanço de um projecto bem intencionado. A malvadez é ainda mais grave quando estes utilizadores legitimam, no seu discurso, os seus vandalismos como forma de demonstrar a falibilidade da Wikipédia. Isto é, pretendem passar a mensagem de que vandalizam para que as pessoas não acreditem num meio de comunicação que não é fiável. Pretendem, assim, transformar actos destrutivos em actos beneficientes. Pode parecer aberrante, mas é uma atitude muito frequente.

13) O seu conteúdo é reconhecido oficialmente, como por exemplo a enciclopédia britânica é reconhecida?

O conteúdo da enciclopédia britânica é reconhecido oficialmente? A sério? Por quem? Por sua Majestade, a Rainha? Ela leu todos os artigos da Britânica? Uau.

Peço perdão pela ironia – não pretendo ofender ninguém. Não existe reconhecimento oficial de conteúdos publicados (ou melhor, existe: em sociedades dogmáticas e em ditaduras). O reconhecimento da validade de um texto é sempre uma tarefa individual. Deus nos proteja de todos os reconhecimentos oficiais. Vade retro.

14) Qual a relação entre a Wikipedia e a Inclusão social, no que se diz respeito a compartilhamento de conhecimento?

A Wikipédia pretende produzir conteúdos que podem ser livremente copiados sem custo adicional além do custo da própria cópia. É constituída por textos criados por utilizadores que prescindem de quaisquer direitos lucrativos do seu trabalho. É a génese de conteúdos que podem ser facilmente usados por qualquer pessoa. É uma semente. Não é uma árvore. Mas uma semente que, no futuro, poderá ser muito útil a quem não tem meios económicos para ter na sua biblioteca uma enciclopédia actualizada. Posso dar um exemplo: trabalho numa escola, em Portugal, onde a melhor enciclopédia que existe na Biblioteca é da década de 1960: está desactualizada em tudo o que respeita a Geografia, tem conteúdos científicos obsoletos ou ultrapassados, está escrita numa linguagem de tal modo erudita que os alunos não compreendem quase nada (as enciclopédia “infantis”, por seu lado, são extremamente redutoras e pobres em conteúdo), além de que muitos textos estão escritos sob uma perspectiva pessoal ou institucional (parcial, portanto). Mas a escola não tem meios para comprar uma edição nova dessa mesma enciclopédia (que, por acaso, tenho em casa e que mantém a maioria dos defeitos que apontei à antiga – ainda que seja, de uma forma quase consensual, uma das melhores enciclopédia produzidas em Portugal, se não a melhor). Portanto, é preciso educar para a leitura sustentada no espírito crítico. Se os nossos jovens lerem com saudável desconfiança os artigos da Wikipédia serão, com certeza, melhores cidadãos e estarão mais bem informados que aqueles que leiam apenas textos “oficiais” como se fossem verdades absolutas.

É, no entanto, necessário educar para essa saudável desconfiança. E isso será difícil, já que as pessoas (e muitos “educadores”) persistem em pensar que existem autoridades intocáveis no campo do conhecimento (claro que existem autoridades académicas – não estou a fazer a apologia da absoluta anarquia neste campo! Aliás: a Wikipédia só aceita conteúdos que tenham como fontes bibliográficas os trabalhos dessas “autoridades”). Essa é a principal tarefa a nível da educação socialmente responsável – criar cidadãos que pensem livremente e de forma esclarecida. A Wikipédia, bem administrada aos jovens (fazendo-os participar na sua construção e não apenas na sua consulta passiva) é um excelente meio para esse fim. 

15) Qual é a média de acessos diários à enciclopédia (No Brasil e no mundo)?

Não tenho esses dados. Mas sei que a Wikipédia é um dos sites mais acessados em todo o espaço lusófono.

Artigos da mesma série:
publicado por Manuel Anastácio às 14:52
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
|
2 comentários:
De Artur a 2 de Novembro de 2006 às 11:45
ando a pensar meter-me nisso. o artigo sobre a ericeira é mesmo demasiado simples...
De Ana Ramon a 2 de Novembro de 2006 às 13:43
Ora aqui está um post que responde a uma série de dúvidas que tinha em relação à Wikipédia mas que nunca me lembraria de te questionar. Agora percebo a razão de ser de informações que me confundiram quando andei a pesquisar sobre a cidra. Como vês, passo por aqui com frequência embora normalmente fique com a voz muito sumida

Dizer de sua justiça

.Nada sobre mim
.pesquisar
 
.Agosto 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.Artigos da mesma série

. notas

. cinema

. livros

. poesia avulsa

. política

. só porque

. curtas

. arte

. guimarães

. música

. estupidez

. traduções

. wikipédia

. religião

. poesia i

. gosto de...

. ono no komachi

. narrativas

. tomas tranströmer

. buscas pedidas

. plantas

. arquitectura

. enciclopédia íntima

. blogues

. braga

. fábulas de esopo

. as quimeras

. gérard de nerval

. carvalhal

. animais

. blogs

. cultura popular

. disparates

. Herbário I

. poesia

. póvoa de lanhoso

. estevas

. pormenores

. umbigo

. bíblia

. ciência

. professores

. vilar formoso

. barcelos

. cinema e literatura

. coisas que vou escrevendo

. curtíssimas

. educação

. Guimarães

. rádio

. receitas

. ribeira da brunheta

. teatro

. vídeo

. da varanda

. economia

. família

. leitura

. lisboa

. mails da treta

. mértola

. Música

. os anéis de mercúrio

. cachorrada

. comida

. cores

. dança

. diário

. direita

. elogio da loucura

. escola

. esquerda

. flores de pedra

. hip hop

. história de portugal

. kitsch

. memória

. ópera

. profissão

. recortes

. rimas tontas

. sonetos de shakespeare

. terras de bouro

. trump

. Álbum de família

. alunos

. ângela merkel

. arte caseira

. aulas

. avaliação de professores

. ayre

. benjamin clementine

. citações

. crítica

. ecologia

. edgar allan poe

. ensino privado

. ensino público

. evolucionismo

. facebook

. todas as tags

.O que vou visitando
.Segredos
  • Escrevam-me

  • .Páginas que se referem a este site

    referer referrer referers referrers http_referer
    .Já passaram...
    .quem linka aqui
    Who links to me?
    .Outras estatísticas
    eXTReMe Tracker
    blogs SAPO
    .subscrever feeds