Quinta-feira, 26 de Outubro de 2006
Curta 3
É próprio da Condição Humana ser-se alquimista: farmacêuticos a brincar, procuramos a seca longevidade no enxofre das sulfatagens, no mercúrio que se acumula no pescado e nos fornos sujos das cozinhas. Quando é, apenas, nas retortas do silêncio que se poderá, alguma vez, destilar uma palavra de eternidade, límpida e perigosa como a superfície irisada do óleo queimado sobre uma estrada molhada...


Artigos da mesma série:
publicado por Manuel Anastácio às 10:46
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
3 comentários:
De José Eduardo Lopes a 27 de Outubro de 2006 às 11:58

Caro Manuel Anastácio:
Assim como um prisma decompõe um frio feixe de luz nas suas luminosas cores, o seu texto glosou magistralmente uma árida frase prosaica. As palavras têm destas operações alquímicas
De Artur a 27 de Outubro de 2006 às 14:05
belas frases.
De Manuel Anastácio a 27 de Outubro de 2006 às 17:59
:)

Dizer de sua justiça

.pesquisar