Sexta-feira, 25 de Agosto de 2006
Pormenores - Pia Baptismal da Sé de Braga


Logo à esquerda de quem entra pela fachada norte da Sé de Braga, está a sua pia baptismal, de estilo manuelino. A sua base tétrica assenta em cabeças toscas de leões a devorarem corpos humanos e a concha está coberta de "putti" entrelaçados com ramos de carvalho carregados de bolotas. Mas o pormenor que mais me intriga é o desta pequena composição, desgarrada do resto pela erosão do tempo. Não sei se fará referência ao martírio, como a ensanguentada base, se ao terno acto da amamentação, se, apenas, e obviamente, ao baptismo. A primeira vez, pareceu-me uma pietá - a cabeça do corpo deitado cai para o lado, como sem vida, mas isso é desmentido pela mão que agarra o ombro da personagem de cabelo comprido. Perante a indefinição, rendi-me ao óbvio. A personagem do ápice estaria simplesmente a preparar a debaixo, de contornos perfeitamente infantis, para o sacramento do baptismo - forçando a cabeça a inclinar-se, enquanto o corpo da criança, surpreso, recusa separar-se do colo supostamente protector (da mãe? do sacerdote?). A mísula que lhes serve de base seria, pois, a pia baptismal. Mas fico decepcionado com a explicação. Até que volto a olhar para os leões da base e para os membros que se contorcem debaixo das suas patas e bocas bestiais e penso em Abraão com Isaque pronto a ser imolado. Penso na criança a debater-se e a recusar ocupar o lugar da rês sacrificial. E penso na bestialidade de um pai que, tendo fé em vozes ou visões, se prepara para derramar o sangue do filho sobre o altar. E a pura água corrente do baptismo parece macular-se, então, como fonte nascida na base de um matadouro.
Artigos da mesma série: , ,
publicado por Manuel Anastácio às 13:23
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
5 comentários:
De Artur a 26 de Agosto de 2006 às 21:13
Realmente é um pouco ambíguo. Mas o meu olhar é menos subtil - a mim, parece-me que alguém está ali a degolar, ou pelo menos a sufocar, uma pobre vítima. Olha que o olhar de quem degola tem mais a ver com um olhar psychokiller do que com o de um devoto a deus (se bem que não vejo grandes diferenças entre os dois tipos).
De Pedro a 26 de Agosto de 2006 às 21:40
Olá e, antes de mais, obrigado pelo comentário n'a sombra-verde!Na realidade, já mais pessoas se queixaram de ter que fazer um registo no blogger para poder comentar(suponho que tenha sido eu ao criar o blog que assim o defini inadvertidamente...e não faço a mínima ideia de como alterar isso..ou até de como se criam links!)
Todas as colheradas são bem vindas!
Em relação ao "Da condição humana" gostei dos textos e fotos da Ribeira da Brunheta...já andei por aquelas bandas, em Mação, e são sítios que não se esquecem...
De Manuel Anastácio a 26 de Agosto de 2006 às 23:39
Para permitires comentários de outras pessoas é fácil: vais a "Change settings"- a roda dentada azul; Carregas em Comments; e à pergunta "Who Can Comment?" escolhes "Anyone". Creio que basta.

Quanto a criares links, não te posso ajudar muito. De facto, tenho o blogue na sapo (apesar de muitas queixas dos leitores) porque me oriento melhor por aqui...
De Artur a 28 de Agosto de 2006 às 19:38
Criar links num blog blogspot é muito fácil, se se tiver um conhecimento de html. Basta deixar no corpo do template o link desejado, escrevendo as tags html, a
[Error: Irreparable invalid markup ('<a href"">') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Criar links num blog blogspot é muito fácil, se se tiver um conhecimento de html. Basta deixar no corpo do template o link desejado, escrevendo as tags html, a <a href"">. O próprio template já tem algumas tags escritas, basta copiar, colar, e inserir o link certo.

Por outro lado, se não se sabe de html, a coisa fica mais complicada.
De Manuel Anastácio a 29 de Agosto de 2006 às 10:11
O problema é, unica e exclusivamente do html - afinal, os blogs e as wikis não vieram para facilitar a vida a quem nada percebe disso??? Nisso, devo fazer uma vénia aos blogs da sapo.

Dizer de sua justiça

.pesquisar