Sexta-feira, 29 de Março de 2013
LXIV

Tinha que vir. Pouco importa que num país se coma e noutro não. Que num se viva e noutro se sobreviva. O que importa é que, afinal, nuestros hermanos são mais ricos que os alemães. Até onde vai o absurdo? Não vai. Os países reféns do poderio germânico são países onde há, de facto, famílias muito ricas. Esse é, aliás, o motor ideológico que permite ao capitalismo selvagem e depredador instalar-se profundamente nos anseios das classes exploradas, mantendo a promessa de mobilidade social e crença nas oportunidades oferecidas por um sistema que assenta nas diferenças sociais. Mas, lá como cá, o que interessa é comparar as diferenças sociais dentro de cada país e não a riqueza média das famílias entre países. Estudos destes são, obviamente, propaganda política. E da mais inescrupulosa. 

publicado por Manuel Anastácio às 20:34
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
.pesquisar