.Últimos bocejos

. Todas as águas

. Todos os poemas

. Hold back your love, Whit...

. Hallelujah Money, Gorilla...

. 4

. 3

. Love & Hate, Michael Kiwa...

. T-shirt weather in the ma...

. Yonkers, Tyler, the Creat...

. 2

. 1

. i

. Anacreonte

. Educação do meu imbigo

. Voltei! Ou talvez não (co...

. Uma arte, de Elizabeth Bi...

. Uma arte, de Elizabeth Bi...

. Manual de Etiqueta e boa ...

. Aurora dos Pinheiros

. Versículos angélicos

. (19/01/2014)

. Cristianismo

. Arbeit macht frei

. Isso

. Limite

. Resignação solene

. LXXVIII

. Florentino Ariza num dia ...

. I've seen horrors... horr...

. Se bem me esqueço

. Enciclopédia Íntima: Pátr...

. LXXVII

. Experimental como o desti...

. Ruy do car(v)alhinho

. LXXVI

. Overgrown, James Blake

. MS MR - Hurricane

. Buscas pedidas: "filmes s...

. Para Thatcher

. S&M

. LXXV

. Mails da treta: Ímans e a...

. LXXIV

. Agnes Obel

. Amar, casar, perverter

. LXXIII

. LXXII

. LXXI

. Amar é dizer parvoíces

. Orgasm (Rock Cave), de Cr...

.Velharias

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Agosto 2016

. Maio 2016

. Janeiro 2015

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Março 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

Segunda-feira, 14 de Maio de 2012
Apocalipsezinho

O anjo portador de espadas proféticas

em chama,

levou-me às descentes passagens de luz e perfume.

Trouxe-me uma brasa incandescente

e inflamou-me as águas secretas com a dor grave do seu lume.

O anjo portador de espadas proféticas

em chama,

ergueu a mão direita e disse, ai, do mundo

porque em ti não resta um pedaço de chão onde lavrar.

Ai do mundo porque te rejeita a ânsia que Deus,

em fúria, em ti deixou ficar.

Ai, e quebrou na minha fronte as tiaras do poder

E disse, ai do mundo,

que em ti, não se quis abrigar. E eu disse:

Quem sou eu para salvar o mundo?

E o anjo disse:

Ai de ti, que não sabes

O bem que o mundo faz em te desprezar.

E eu, inflamado,

Deixei-me queimar.

publicado por Manuel Anastácio às 20:41
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
|
4 comentários:
De glaucia lemos a 16 de Maio de 2012 às 21:54
Gosto muito do ritmo deste poema. Acho o fecho perfeito. Não me atrevo a uma interpretação porque poesia não existe mesmo para ser interpretada, sim para ser sentida e tocar a sensibilidade de quem a põe exposta aos poetas e aos bons poetas como é o caso. Eu teria uma interpretação mas de tanto q é pessoal, não a ousaria expressar, e até já me esqueci convenientemente de qual tenha sido. risos . Importa é q este poema pequeno na forma é grande de conteúdo e de expressão. E conta sim um episódio, muito além de anjos e de espadas poéticas. risadas . E viva o poeta que se deixou queimar!
De Manuel Anastácio a 17 de Maio de 2012 às 00:15
Gostaria de ouvir a interpretação pessoal. Um poema é de quem o interpreta (sentir também é interpretar), não de quem o escreve.

Nota: quem escreve também interpreta.
De glaucia lemos a 17 de Maio de 2012 às 01:43
Manuel, eu gostaria muito de q vc não me pedisse para dizer a interpretação q me ocorreu apenas num relance. Só por ser uma coisa invasiva de minha parte. Desses pensamentos q passam como um flash. E certamente foi associada à imagem da gueixa q ilustra o texto. O poema é metafórico, e é sabido q Freud associa a imagem da espada ao falo.
A ideia imediata é de q o episódio metaforizado seria referente a alguém que se teria divertido com uma gueixa. É uma ideia bandida. Agora vc tem direito de ficar zangado comigo q não tenho nada q pensar tal coisa. Preferia não ter dito, mas você pediu... Acho q agora perdi você. Se puder, me perdoe.
De Manuel Anastácio a 17 de Maio de 2012 às 02:50
Bem, a gueixa está lá apenas por causa de um pormenor que revelarei mais tarde, na altura devida.Quanto à sua interpretação, nada bandida, apenas revela o quanto a poesia é sugestiva. Mas confesso que a espada, se é símbolo fálico, já o é na Bíblia, sendo posta nas mãos dos anjos... isso dava pano para mangas... e já devia estar a dormir... Jinhocas

Dizer de sua justiça

.Nada sobre mim
.pesquisar
 
.Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.Artigos da mesma série

. notas

. cinema

. livros

. poesia avulsa

. só porque

. política

. curtas

. arte

. guimarães

. música

. estupidez

. traduções

. wikipédia

. religião

. poesia i

. gosto de...

. ono no komachi

. narrativas

. tomas tranströmer

. buscas pedidas

. plantas

. arquitectura

. blogues

. enciclopédia íntima

. blogs

. braga

. fábulas de esopo

. as quimeras

. gérard de nerval

. carvalhal

. animais

. cultura popular

. disparates

. Herbário I

. poesia

. póvoa de lanhoso

. estevas

. pormenores

. umbigo

. bíblia

. ciência

. professores

. vilar formoso

. barcelos

. cinema e literatura

. coisas que vou escrevendo

. curtíssimas

. Guimarães

. rádio

. receitas

. ribeira da brunheta

. teatro

. vídeo

. da varanda

. economia

. educação

. família

. leitura

. lisboa

. mails da treta

. mértola

. Música

. os anéis de mercúrio

. cachorrada

. comida

. cores

. dança

. diário

. direita

. elogio da loucura

. escola

. esquerda

. flores de pedra

. hip hop

. história de portugal

. kitsch

. memória

. ópera

. profissão

. recortes

. rimas tontas

. sonetos de shakespeare

. terras de bouro

. trump

. Álbum de família

. alunos

. ângela merkel

. arte caseira

. aulas

. avaliação de professores

. ayre

. benjamin clementine

. citações

. crítica

. ecologia

. edgar allan poe

. ensino privado

. ensino público

. evolucionismo

. facebook

. todas as tags

.O que vou visitando
.Segredos
  • Escrevam-me

  • .Páginas que se referem a este site

    referer referrer referers referrers http_referer
    .Já passaram...
    .quem linka aqui
    Who links to me?
    .Outras estatísticas
    eXTReMe Tracker
    blogs SAPO
    .subscrever feeds