Segunda-feira, 27 de Fevereiro de 2012
Pssst

Só porque tudo o que sabes é que és,

Julgas

Só porque tudo se resume a ti,

Julgas

Julgas que não houve vento nem ondas nem fogo

Nem espirros de espíritos entre a lava incandescente

daquilo que te fez como és.

Só porque tudo o que sabes

é o que és. Onde estavas tu antes de o saber?

Onde estavas tu quando os círculos da manhã

se cruzaram pela primeira vez com os planos vazios da madrugada?

Onde estavas quando as primeiras sombras esconderam

Os primeiros gritos de medo de quem pressentia a vida

E ainda não conhecia a morte?

Onde estava a tua arrogância e o teu saber, o teu misticismo,

A tua crença? A tua Fé?

Onde estavas? Não sabes? Eu sei.

Eu nem sequer estava lá, ao lado dos espectros que cantam louvores

À sombra que tudo aniquilou ao estado divisível da vida.

Eu não estava lá, porque eu sou tudo,

Muito além do saber que sou porque sinto, porque penso

Ou porque digo porque quando devia dizer apenas sou.

O ser não tem justificação.

Onde estava eu, quando estavas tu onde não sabes onde estavas?

Digo-te que sei, mas de pouco te vale a ti,

Da mesma forma que a mim de nada me vale.

Digo-te que, nessa primeira vez em que os sonhos

se entrelaçaram em espiral, copiando-se uns aos outros,

com o mero fim de se destruirem em proveito próprio,

andava eu no abismo que sentes sempre que pensas e cais nas coisas que esqueceste

e que julgas mortas.

Digo-te que estás morto, amigo.

Estás morto.

Tanto quanto a sombra que dividiu o tudo em bocados de excremento

Autovalorizável.

Estás morto. Portanto, pronto para matar e sustentar a tua morte.

Artigos da mesma série:
publicado por Manuel Anastácio às 21:33
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
1 comentário:
De glaucia lemos a 26 de Fevereiro de 2017 às 20:12
Peço licença para admirar profundamente o teu poema. Um dos mais fortes q ja li na vida. Tem algo bíblico, machuca um pouco , ou talvez porq eu esteja mto machucada pela morte do meu filho. Desculpe falar isso. Permita q eu aplauda com verdade. E te mande um beijo de pura amizade.

Dizer de sua justiça

.pesquisar