Quinta-feira, 15 de Junho de 2006
Photossintética


"Pigmalião e Galateia" de Jean-Léon Gérôme (1824-1904)

Juntas no mistério

Água, luz e CO2

E, depois,

Como serpente emplumada,

Uma lágrima de nada

Contendo o que em cima existe

Na profunda claridade

Dos olhos de Deus

E o que em baixo desiste

Sob a conversão forçada

À paternidade

Dos deuses alados

Mortos noutra solidão.

Juntas no mistério

Tanto nuvens como pedras.

E no cemitério

Daqueles que não nasceram,

Sepulturas por abrir

Igualam-se em inquietude

Ao sossego manso

Da eternidade

Do ventre da Virgem.

Artigos da mesma série:
publicado por Manuel Anastácio às 03:34
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
2 comentários:
De Poesia Portuguesa a 13 de Janeiro de 2007 às 22:04
Espero que não se importe, que ouse "roubar" este poema e esta imagem daqui...
E por uma causa nobre...
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Espero que não se importe, que ouse "roubar" este poema e esta imagem daqui... <BR>E por uma causa nobre... <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>Bj</A> ;)
De Manuel Anastácio a 14 de Janeiro de 2007 às 11:27
Os meus poemas estão aqui mesmo para serem roubados. Pena têm eles de não o serem mais vezes... ;)

Dizer de sua justiça

.pesquisar