Sexta-feira, 20 de Maio de 2011
Nota sobre o poema "Jogo"

Há neste meu poema uma forte componente doentia que não deve, jamais, ser interpretada como apologia da perversão. Escrevi o poema movido por sentimentos puramente ideológicos, procurando transmitir aquilo que, do meu ponto de vista, pode motivar os comportamentos depredatórios de quem se alimenta com a inocência de um povo pueril que aceita submeter-se a abusos sustentados pela mentira e pelo medo. No fim, depois de publicar o poema, vi, horrorizado, como se parece com a provável página de um diário de um pedófilo demente. Por uma razão. Porque há no discurso que o povo aceita e de que comunga, o mesmo medo inocente que faz calar as vítimas dos mais violentos abusos.

publicado por Manuel Anastácio às 23:44
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
.pesquisar