Sexta-feira, 20 de Maio de 2011
Jogo

Filhos da opressão e do silêncio

Filhos da ingratidão

Geramos, adoramos  com incenso

A imensidão,

Perversa mansidão

De inerme inconsciência.

Um lenço

Cai,

Como a Inocência,

Das mãos de uma criança,

E penso:

Cai,

Primeiro passo de dança.

E vai, tens de apanhar o lenço antes do outro,

Vai.

Avança

Joga. Humilha. Apanha o lenço imenso

Que cai das mãos dessa criança.

Vai. Avança. Enquanto todo o sonho contido no sorriso que vos unia antes do jogo

Se esvai.

Cai.

Vai.

Avança.

Não penses. É apenas um lenço que cai

Das mãos de uma criança.

Artigos da mesma série:
publicado por Manuel Anastácio às 23:20
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
.pesquisar