Terça-feira, 13 de Junho de 2006
Ono no Komachi - Na corrente


Está fragilizado

O meu corpo, que flutua

Qual junco cortado cerce.

Se um regato desejasse

Arrastar-me no seu curso,

Deixar-me-ia levar.



(Versão de Manuel Anastácio de um poema de Ono no Komachi,

a partir de uma tradução de Hirshfield & Aratani)
Artigos da mesma série:
publicado por Manuel Anastácio às 00:15
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
2 comentários:
De artur a 13 de Junho de 2006 às 11:46
momento fugaz de mulher que descai, braços hirtos e cabelos ondulantes.
De Manuel Anastácio a 13 de Junho de 2006 às 18:14
Isso dos cabelos faz-me lembrar a "Noite do Caçador" com o Robert Mitchum, conhecem?...

Dizer de sua justiça

.pesquisar