Domingo, 3 de Abril de 2011
Cefaleia

 

Never Let Me Go - The Human League, de Ewan Jones Morris.

 

Eu não escrevo poesia.

Talvez, às vezes, vá tentando. Mas não escrevo.

Eu mesmo levei tempo a perceber que

Também não escrevo Filosofia.

Escrevo, acima de tudo, para acreditar.

Como Moisés quando, louco, obrigou Deus a escrever na rocha o que já tinha no coração.

Também não escrevo Teologia.

Nem Ciência.

Escrevo fé. Com letra minúscula.

Nem sequer sei escrever Amor.

Escrevo espelhos e cefalópodes.

Gelatinoso, às vezes disfarce de engenhoso, tentacular

Tento tactear as palavras e descobrir nas simetrias a alma das coisas.

Mas só encontro a minha própria alma. Intransmissível. Imponderável

Simétrica

Feita de adjectivos. Sem substância.

Não escrevo poesia nem ensaios. Nem artigos nem posts nem resenhas.

As minhas ideias são meros ninhos de aranhas, rimas fáceis

onde chocam embriões de várias patas.

Nos meus versos chocam ninhos de aranhas.

O que vale é que não são versos.

São entranhas.

publicado por Manuel Anastácio às 21:10
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
1 comentário:
De glaucia lemos a 6 de Abril de 2011 às 15:53
Muitos leitores sentem poesia nelas. e gostam

Dizer de sua justiça

.pesquisar