.Últimos bocejos

. Todas as águas

. Todos os poemas

. Hold back your love, Whit...

. Hallelujah Money, Gorilla...

. 4

. 3

. Love & Hate, Michael Kiwa...

. T-shirt weather in the ma...

. Yonkers, Tyler, the Creat...

. 2

. 1

. i

. Anacreonte

. Educação do meu imbigo

. Voltei! Ou talvez não (co...

. Uma arte, de Elizabeth Bi...

. Uma arte, de Elizabeth Bi...

. Manual de Etiqueta e boa ...

. Aurora dos Pinheiros

. Versículos angélicos

. (19/01/2014)

. Cristianismo

. Arbeit macht frei

. Isso

. Limite

. Resignação solene

. LXXVIII

. Florentino Ariza num dia ...

. I've seen horrors... horr...

. Se bem me esqueço

. Enciclopédia Íntima: Pátr...

. LXXVII

. Experimental como o desti...

. Ruy do car(v)alhinho

. LXXVI

. Overgrown, James Blake

. MS MR - Hurricane

. Buscas pedidas: "filmes s...

. Para Thatcher

. S&M

. LXXV

. Mails da treta: Ímans e a...

. LXXIV

. Agnes Obel

. Amar, casar, perverter

. LXXIII

. LXXII

. LXXI

. Amar é dizer parvoíces

. Orgasm (Rock Cave), de Cr...

.Velharias

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Agosto 2016

. Maio 2016

. Janeiro 2015

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Março 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

Quinta-feira, 8 de Junho de 2006
Ono no Komachi - Olhos de ressaca?

Quadro: "À beira-mar" de Konstantin Bogaevsky

Amor
, nada sei
Sobre estas aldeias
onde moram pescadores.
Porque persistes, então,
Em expores-me à beira-mar?

(Versão de Manuel Anastácio de um poema de Ono no Komachi a partir de uma tradução de Helen Craig McCullough)

Muito do sentido poético que encontramos, por vezes, na poesia oriental deve-se à sua "má tradução". De um mau trabalho pode, portanto, resultar uma bela obra. O real autor de um texto será, pois, sempre o seu leitor. O autor da obra de arte é quem a consagra como tal.  Não concordo com as pessoas que consideram que não se deve traduzir poesia. Diria, antes, que a tradução é mais possível para a poesia que para a prosa, pouco importando a correcção literal. Nesta minha perspectiva, cada pessoa teria legitimidade para traduzir poemas da sua própria língua para a sua própria língua - seria apenas a transposição de um sentido íntimo para outro sentido íntimo - de uma fala para outra - de uma compreensão para outra. Com a maravilha de que o próximo leitor teria de retraduzir todos estes textos, prolongando o texto em caleidoscópio, deformando, ampliando, truncando, revertendo, invertendo, criando um texto tendendo para o infinito... O conteúdo literal deste  poema é especialmente intraduzível, já que faz referência a uma expressão idiomática japonesa em que a exposição do litoral significa estar zangado. Talvez por causa da ressaca? Caberiam nesta metáfora os olhos da Capitu, de Machado de Assis?

"Ler, para já, é uma actividade posterior à de escrever: mais resignada, mais cortês, mais intelectual."
Jorge Luís Borges, prólogo da 1.ª edição da "História Universal da Infâmia"


Artigos da mesma série:
publicado por Manuel Anastácio às 23:21
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
|
4 comentários:
De Artur a 10 de Junho de 2006 às 15:27
de um mau trabalho resultar uma bela obra? Curioso este retrato do tradutor - como o maquilhador, que com cremes e pós cria beleza onde ela não existe, ou como o pintor-retratista, criatura conhecida pela sua capacidade em lisonjear a beleza inexistente nos seus modelos...
De Manuel Anastácio a 10 de Junho de 2006 às 23:34
Não é bem isso. Não se trata de tornar mais belo aquilo que não é belo de origem. Trata-se, sim, de criar uma nova beleza fortuitamente aparentada ao texto original (este terá sempre o estatuto de obra seminal e, provavelmente, na maior parte dos casos, é esteticamente superior, mas não necessariamente).
De sandra a 11 de Junho de 2006 às 14:33
como gosto mto de poesia prefiro q n seja traduzida, considero-a mais genuína. contudo, colocaste aqui um autor q desconhecia; gostei. das palavras em bom português. Bjs.
De Manuel Anastácio a 11 de Junho de 2006 às 15:07
Apenas consideras a original mais genuína por simples preconceito. A releitura de uma obra é sempre genuína. Pode não ser a que melhor te chega ao coração, mas será sempre genuína. Vejo que não entendeste a minha perspectiva de "tradução" (subversão). Além disso, creio que nunca chegarás a ler Ono no Komachi no original (aliás: duvido que os próprios japoneses o façam - com o tempo que já passou, já a língua não é a mesma)...

Dizer de sua justiça

.Nada sobre mim
.pesquisar
 
.Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.Artigos da mesma série

. notas

. cinema

. livros

. poesia avulsa

. só porque

. política

. curtas

. arte

. guimarães

. música

. estupidez

. traduções

. wikipédia

. religião

. poesia i

. gosto de...

. ono no komachi

. narrativas

. tomas tranströmer

. buscas pedidas

. plantas

. arquitectura

. blogues

. enciclopédia íntima

. blogs

. braga

. fábulas de esopo

. as quimeras

. gérard de nerval

. carvalhal

. animais

. cultura popular

. disparates

. Herbário I

. poesia

. póvoa de lanhoso

. estevas

. pormenores

. umbigo

. bíblia

. ciência

. professores

. vilar formoso

. barcelos

. cinema e literatura

. coisas que vou escrevendo

. curtíssimas

. Guimarães

. rádio

. receitas

. ribeira da brunheta

. teatro

. vídeo

. da varanda

. economia

. educação

. família

. leitura

. lisboa

. mails da treta

. mértola

. Música

. os anéis de mercúrio

. cachorrada

. comida

. cores

. dança

. diário

. direita

. elogio da loucura

. escola

. esquerda

. flores de pedra

. hip hop

. história de portugal

. kitsch

. memória

. ópera

. profissão

. recortes

. rimas tontas

. sonetos de shakespeare

. terras de bouro

. trump

. Álbum de família

. alunos

. ângela merkel

. arte caseira

. aulas

. avaliação de professores

. ayre

. benjamin clementine

. citações

. crítica

. ecologia

. edgar allan poe

. ensino privado

. ensino público

. evolucionismo

. facebook

. todas as tags

.O que vou visitando
.Segredos
  • Escrevam-me

  • .Páginas que se referem a este site

    referer referrer referers referrers http_referer
    .Já passaram...
    .quem linka aqui
    Who links to me?
    .Outras estatísticas
    eXTReMe Tracker
    blogs SAPO
    .subscrever feeds