Sexta-feira, 1 de Outubro de 2010
Comentário III - correspondência online

Responde o Sr Sérgio:

 

Sr. Anastácio: tem razão.
Tinha visto um mail com outra informação (de facto falsa) e com falsificação do pdf.
Daí as minhas desculpas!

Mas o seu partido não convence gente séria!
Vocês são contra os ricos; eu gostava que todo o Português fosse milionário! Uma grande parte de gente que recebe o RSI é contra "os ricos"! Alguns saem do bairro de BMW para o irem buscar o rendimento pago à custa dos descontos de tanto trabalhador! Há muita gente que o merece e que não tem outra hipótese, mas há quem o receba por simplesmente não querer trabalhar! 90% destes últimos votam BE da treta!
Os problemas base do país nunca foram o aborto, o casamento homossexual ou a liberalização das drogas! Estratégia económica do vosso partido? Pronto sei que têm, mas agora a sério sem demagogia?
Mas no fundo mais importante que a economia ou a saúde há que defender o lobby gay e os toxicodependentes todos! Até tenho medo de que quando estiverem no governo aqueles que não forem gays e não fumarem charradas percam os direitos!
Drogas, peace and love! Comeremos os frutos que a mãe terra der! Que trabalhem e cavem a terra os militantes da direita! Mas ai deles que tenham mais riqueza do que aqueles que se charram de manhã à noite!
Bom felicidades para o vosso bloco! Se por manifesta infelicidade um dia estiverem no governo juro que vou emigrar tal como a maioria dos Portugueses e ao longe assistirei à degradação do nosso Portugal!

E já agora não falem em democracia! Comunistas e Trotskistas falam em liberdade porque vivem em Democracia! Quando estão no poder são tiranos e ditadores como os de extrema direita!

E respondo eu, ponto por ponto:
"Mas o seu partido não convence gente séria!"

-- Vejo muita gente séria no meu partido. Mais que nos outros. Lamento que não veja o mesmo que eu, ainda que preze a pluralidade democrática.

"Vocês são contra os ricos; eu gostava que todo o Português fosse milionário!"
-- É um preconceito. Há, de facto, alguns que se dizem contra os ricos, assim como há racistas no CDS. São pessoas que aderem a um movimento pelas razões erradas. O BE não é contra os ricos. É apenas a favor da justiça social. E, quer queira quer não, e infelizmente, alguns (muitos) ricos estão a explorar os pobres de Portugal com o apoio dos partidos do PS para a direita. É assim que conseguirá um país de milionários? Lamento a sua visão. E depois chamam-nos utópicos a nós?

"Uma grande parte de gente que recebe o RSI é contra "os ricos"!"
-- Em primeiro lugar, não compreendo as aspas. Mas quem lhe disse que quem recebe o RSI é do Bloco? Antes pelo contrário. São geralmente pessoas sem qualquer consciência política e mais rapidamente votam no PP do que em quem lhes defende a mínima das dignidades.

"Alguns saem do bairro de BMW para o irem buscar o rendimento pago à custa dos descontos de tanto trabalhador!"
-- Acredite que se assim é, o Bloco também é contra tais ladrões. Entretanto, em muito tempo que estou em contacto com tais pessoas, eles têm escondido os BMW muito bem. O tal rendimento a que se refere não paga BMWs a ninguém. Mal dá para comer... Agora se me disser que há trabalhadores que estão a viver como se vivessem do RSI, isto é, na miséria - ah isso garanto-lhe que há. E não é com a concordância do Bloco. Mas o pessoal de direita pensa que só é possível repor a justiça tirando o RSI a uns pobres diabos, lançando-os para a mendicidade e para a gatunagem. Se agora há gatunos com o RSI, com cortes no mesmo, alguns que até iam mantendo alguma decência e honestidade vão deitar a honestidade ao lixo. Garanto-lhe.

" Há muita gente que o merece e que não tem outra hipótese"
--E verão o apoio que tinham do estado gravemente cortado com as recentes medidas de austeridade.

"mas há quem o receba por simplesmente não querer trabalhar!"
-- E eu vejo tanta gente a querer trabalhar e não consegue... Será que não vê que tal discurso é apenas a repetição de ideias feitas? Claro que há preguiçosos. Mas a que se deve essa preguiça? A uma doença social e psicológica que corrói as vidas de quem aufere tal subsídio. Ninguém, repito, ninguém, no seu juízo perfeito, quer, repito, quer - deseja - viver do RSI. Se deseja, é porque não funciona bem da cabeça. E a quem não funciona bem da cabeça faz-se o quê? Manda-se para o forno crematório? Repare que estou a falar dos chamados "preguiçosos", não daqueles que, a contragosto, e por último recurso, estão dependentes de apoio do Estado.

" 90% destes últimos votam BE da treta!"

-- Lamento. Antes fosse verdade, para o Bloco. Mas é mentira. 90% desses últimos votam no seu querido Sócrates ou no Paulinho das Feiras. Eu sei. Eu tenho olhos na cara. Gostaria de saber onde foi buscar tais dados! As pessoas a que se refere são pessoas geralmente ignorantes que não fazem ideia sequer do que é o BE. E são os primeiros a lançar calúnias contra os seus vizinhos que também vivem do RSI. A percepção de que votam no BE é apenas devida ao facto de o Bloco defender a sua dignidade mínima de seres humanos. Só depois disso se poderá incentivá-los a serem membros activos e produtivos da sociedade. Ou julga que sem RSI eles passarão a trabalhar? Claro que não! Vão roubar, pedir esmola para o pé dos monumentos nacionais enquanto mostram as feridas da miséria. É isso que quer? Parece-me que sim.
"Os problemas base do país nunca foram o aborto"

--Para si, felizmente, nunca foi. Mas quem foi obrigado, pela ilegalidade do mesmo, a viver dramas horríveis não concordaria consigo. Mas, de facto, esse nunca foi considerado pelo Bloco um problema base. Era, apenas, um problema que podia ser resolvido (ou minorado) legalmente. Se não é um problema de base (e eu concordo) porque é que é que os detractores do BE estão sempre a falar nisso? O BE já passou para outras lutas - para os problemas de base: a justiça social e a luta contra a pobreza (sim: contra a pobreza e não contra a riqueza).

"o casamento homossexual"
-- Realmente, não é um problema de base do país.  É um problema civilizacional. Mas, então, e seguindo o seu raciocínio, porque é que não deixam os mesmos casar-se, e passam a discutir os assuntos supostamente sérios? Acusam o BE de despender energias a defender o direito a duas pessoas viverem legalmente juntas, ou preocupam-se com a palavra a que se poderá chamar a essa união, e ainda têm a lata de dizer que estamos a perder tempo com coisas que não interessam? Se não interessavam antes, porque é que passaram a interessar? Repare que quem fala nisso agora não é o Bloco de Esquerda: são aqueles que dizem que há problemas mais importantes a tratar. Ora, façamos isso, então. Note-se, no entanto, que sou absolutamente a favor da adopção de crianças por homossexuais que se mostrem idóneos para a mesma, com os mesmos critérios que se aplicam aos heterossexuais que decidem adoptar. Não estou à espera que concorde comigo. Prefere, com certeza, que as crianças continuem em instituições onde são abusadas sexualmente, em vez de viverem com dois homens ou duas mulheres que as amarão como, ou mais, que muitos pais biológicos. Há aqueles que escolhem a ideologia para o bem dos outros - e há aqueles que escolhem a ideologia pela própria ideologia. Eu sou dos primeiros, graças a Deus. Deus é a favor da adopção por casais homossexuais. Até reencarnou numa família onde o casamento era só fachada (dizem os católicos, claro)...
"ou a liberalização das drogas!"
--  O BE não defende a liberalização das drogas. Defende estratégias de combate ao problema da toxicodepência que passem pela eliminação do criminoso mercado negro das drogas. Os traficantes de droga não votam BE. Seria estragar-lhes o negócio. Quanto a fumar charros, acho que o meu amigo parece estar a precisar de um... brincadeira. Não leve a mal.

"Estratégia económica do vosso partido? Pronto sei que têm,"
-- Bravo!

"mas agora a sério sem demagogia?"
-- Se há coisa que aprendi é que demagogia é, para cada pessoa em particular, aquilo que os outros pensam. O BE não é um partido demagógico. Se fosse, defenderia o que o povo ignorante quer. O BE é, por enquanto (não endeuso ninguém nem partido nenhum), o partido que mais se preocupa com os explorados e com quem vive na miséria - enfim, pessoas que na sua maioria não vai votar. Isso nota-se particularmente nas eleições autárquicas, em que o BE atinge os seus piores resultados, porque a maioria que vota é quem tem o seu lugar dependente da Câmara a defender.

"Mas no fundo mais importante que a economia ou a saúde há que defender o lobby gay e os toxicodependentes todos!"
-- Não é mais importante. Mas é, definitivamente importante defender as minorias e aqueles que, até hoje não tinham voz, ou tinham-na transvestida (como os homossexuais de direita que são os primeiros a terem discursos homofóbicos). Não os lóbis. Esses não precisam de ninguém para os defender. Eu defendo, sim, a liberdade individual - o Sérgio não? Eu defendo o fim do mercado negro que enriquece ilicitamente traficantes de droga. O Sérgio não? OK. Temos ideias diferentes. Não será por isso que terei de agir e defender ideias que vão contra o meu sentido de justiça.

"Até tenho medo de que quando estiverem no governo aqueles que não forem gays e não fumarem charradas percam os direitos!"
--Isso não merece resposta. Recuso-me a responder a coisas destas. A maioria das pessoa do BE são heterossexuais e não fumam charros alguns. Seja sério na sua argumentação, por favor. Mas depreendo que julga que o BE constituirá governo. Deus o ouça. Eu não sou tão optimista.

"Drogas, peace and love!"
--É contra o peace and love? É pena, eu sou muito a favor. Quanto às drogas: porque é que não defende a proibição do álcool? Sabia que causa muitas mais mortes e problemas sociais e de saúde em Portugal do que os charros? Sabia? Talvez soubesse. Mas o álcool é uma tradição, certo?

"Comeremos os frutos que a mãe terra der!"
--Esta não entendi.

"Que trabalhem e cavem a terra os militantes da direita!"
-- Qual é o militante do BE que diz tal barbaridade??? Seja sério. Antes pelo contrário. O BE defende uma estratégia rural que fixe as populações em locais que agora estão a ser votados à desertificação, desenvolvendo projectos agrícolas sustentáveis e baseados nas viabilidade económica dos mesmos, ao contrário das estufas que enxamearam o país no tempo do Cavaco, servindo de fachada para a compra de bens de luxo. Esses mantêm-se. As estufas estão a cair de podres. É esse o trabalho da terra que quer para o país? Lamento, eu não.
"Mas ai deles que tenham mais riqueza do que aqueles que se charram de manhã à noite!"
-- É absurdo. O Bloco apenas pede que aqueles que fizeram a sua riqueza, à custa do trabalho dos outros, não se limite a acumular mais riqueza, sempre à custa do trabalho de pessoas que, basicamente, dão a vida inteira, em pura escravatura, a encher os bolsos do seu amo! A riqueza acumulada pelo trabalho é riqueza justa e propriedade inalienável. Deixar os ricos roubarem aos pobres, apenas porque não se pode tocar nos ricos, é alimentar ladrões. Estão assim tão preocupados com os ladrõezecos do RSI, que roubam migalhas, e defendem quem leva o bolo todo? Eu defendo apenas que alguma dessa propriedade dos mais ricos nunca lhes pertenceu e foi por estes acumulada de forma injusta, mas legal. Compreendo que isso lhe faça confusão. A mim não faz. O trabalho não deveria ser um instrumento de escravização, mas uma forma de participação conjunta na criação de riqueza da comunidade.

"Bom felicidades para o vosso bloco!"
-- Obrigado.

"Se por manifesta infelicidade um dia estiverem no governo juro que vou emigrar tal como a maioria dos Portugueses"
-- Prometo que lutarei contra o fecho das fronteiras. Mas o seu comentário não está correcto. Se o BE estiver no governo é porque foi eleito pelos portugueses. Então, iam eleger o BE e depois abandonar o país... os portugueses são, relamente, estranhos.

"e ao longe assistirei à degradação do nosso Portugal!"

--Quer dizer que ele não está já degradado... É uma boa notícia. Hoje irei para o trabalho com um sorriso nos lábios.

"E já agora não falem em democracia!"
-- Falamos no que bem entendermos. O Bloco defende aquilo que defende ou aquilo que os outros julgam que ele defende? O BE é um partido democrático, sim. No dia em que não for, deixa de ser o BE e passa a ser outra coisa contra a qual me insurgirei. Não usando os mesmo argumentos do senhor Sérgio, claro.

"Comunistas e Trotskistas falam em liberdade porque vivem em Democracia! Quando estão no poder são tiranos e ditadores como os de extrema direita"
-- Há alguma verdade no que diz - e essa é uma preocupação constante minha, e é por isso mesmo que decidi dar o passo de participar na vida activa do BE. Mas o movimento de esquerda e a consciência política derivada dessas correntes de pensamento é um movimento recente na História. Está-se a formar uma nova classe de pensadores de esquerda que têm, ao lado do "Capital", a "Carta Universal dos Direitos Humanos". Eu sou desses - e, ao "Capital" junto a Bíblia e todos os livros do mundo que, de alguma forma, defendam a dignidade humana. Sou absolutamente contra qualquer forma de totalitarismo. Um exemplo é o desejo de poder, por exemplo, de Chávez, que utiliza a democracia para a perpetuação do seu poder, em vez de servir a democracia. Eu estarei ao lado do BE enquanto este defender a liberdade e a democracia. No dia em que as não defender, uma coisa é certa, não me vou virar para o PS nem para o PP nem para o PSD. Não é por se conspurcar aquilo que era puro que aquilo que já é sujo passa a ficar limpo.

Bem haja.
publicado por Manuel Anastácio às 20:35
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
.pesquisar