Domingo, 26 de Setembro de 2010
Comentário I - correspondência online

Diz o shark, a respeito da putativa aldrabice do Passos Coelho (o tucano cá do sítio mas, relativamente à política brasileira, mais de esquerda, apesar de defender mais o patronato) ou da quase-nada-putativa-porque-praticamente-comprovada aldrabice do Sócrates:

 

Se não deixar uma porta aberta, o que nos resta depois?
Cruzamos os braços e permitimos, mesmo sabendo a merda de gente que faz a política partidária. que destruam a Democracia e a Nação?
No dia em que a confiança desaparecer por completo fazemos o quê, defendemos uma ditadura que ponha isto na ordem?
Sinto-me encurralado, Manuel. E temo o pior para o futuro.

E eu, perante as opções:


 

Respondo (versão aumentada e corrigida):

 

Manuel Anastácio a 26 de Setembro de 2010 às 22:34
Se não deixar uma porta aberta, o que nos resta depois?

- Resta-nos a Fé. Eu tenho a minha, mas não a impinjo a ninguém (só quando defendem touradas ou dizem que os pobres diabos deficientes que eu conheço, pessoalmente, são calculistas que vivem do RSI).

Cruzamos os braços e permitimos, mesmo sabendo a merda de gente que faz a política partidária. que destruam a Democracia e a Nação?

- Todos nós temos porta aberta para darmos a nossa contribuição para a legitimidade da Democracia ou para a Verdade da Nação. A política não tem de pertencer a profissionais. A profissionalização da política é o pior que nos pode acontecer. Cabe-te a ti, seja em que ala for, lutares de forma justa e digna. Gostaria de me enfrentar com tal classe de tubarões. Infelizmente, no PS, PSD e CDS-PP só vejo cações - impróprios para qualquer comestível sopa alentejana (prefiro o amadorismo genuíno da esquerdalha idealista).

No dia em que a confiança desaparecer por completo fazemos o quê, defendemos uma ditadura que ponha isto na ordem?

- Não. Entramos para a política. Tornamo-nos políticos. Não no nosso blogue, mas entre aqueles que supostamente nos representam, de forma activa. Eu fi-lo porque me juntei à "esquerdalha" a que, gloriosa e orgulhosamente pertenço, sabendo que muita gente de valor está no centrão por razões egoístas e calculistas. Entra tu no centrão que julgares menos aldrabão, mas sê genuíno, shark até à medula, e expulsa os golfinhos que se limitam a fazer show e que se armam agora em machos predadores.

Sinto-me encurralado, Manuel.

-Passa a encurralar. Encurrala-os, àqueles que supostamente te representam. Ou espera que eles te representem (e, aí, podes esperar sentado).

E temo o pior para o futuro.

- Teme, porque o futuro raramente traz algo de bom. O importante é saber receber o que de bom vem. E participar activamente nessa vinda. Eu ajo numa ala que não é a tua. O ideal seria que todos seguíssemos os nossos ideais pelos próprios ideais. O pessoal politicamente engajado do PS e do PSD é sempre pessoal que procura proveito próprio. Tenho-te em boa conta. Ficaria contente em ver alguém nestes dois partidos, infelizmente maioritários, por outra razão que não fosse o proveito próprio. Mas isso só acontece se os tubarões assumirem os orgãos que rimam com a espécie a que pertencem.- Não interpretes isto como ofensa - ou interpreta (mas não me mordas, que sou inofensivo): vai-te a eles à dentada, no seu próprio território. (Falso) Socialista ou (Falso) Social-Democrata, o que importa é que não se seja o que pus entre parêntesis. E pelo que conheço (desde que entrei na política local), olha que, que esse pessoal resume-se ao parêntesis...

... confesso, ainda assim, que prefiro esses falsos aos verdadeiros CDS... e nem falo dos verdadeiríssimos PNR...
publicado por Manuel Anastácio às 22:41
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
.pesquisar