Sábado, 29 de Maio de 2010
O 6.º F

O 6.º F é o meu Inferno. A minha dor. O meu martírio.

 

Hoje, numa só aula, dei a metade da turma (a que se dignou a ouvir-me) toda uma unidade sobre o sistema circulatório e o sangue (composição, função, etc.). E essa metade, ou quase, ouviu-me.

 

E fizeram perguntas.

 

E aqueles que não estavam a ouvir (não estariam?), prontificaram-se imediatamente, quando estava a falar de plaquetas sanguíneas, a mostrarem ao vivo exemplos concretos de coágulos de sangue. Coisa que não falta naquela turma. Debaixo das unhas (dos leitos ungueais), nos braços, nos pescoços (território sagrado dos chupões), nas pernas...

 

Fizeram perguntas. Meu Deus! Há algo mais belo que um aluno a fazer perguntas ao professor?

 

E, ao sair, enquanto pensava, alucinado, sobre o que se falou naquela aula de alunos desinteressados (*eufemismo1), onde se falou de hemoglobina, de Moisés, da Eritreia, da geometria dos favos de mel, de etimologia e línguas mortas, das aurículas e dos ventrículos (falei disto tudo e muito mais, apenas porque eles falaram também)... enquanto pensava nisto, eufórico, percebi que isto é contentar-me com pouco. Mas que não há forma de me contentar com mais.

 

Parafraseando a Carla, hoje, enquanto bebia o vinho de Cabeceiras d' "O Forno", antes de um dia a pão e água, a caminho da manifestação de amanhã (que será fraquinha, até porque os portugueses, masoquistas e crentes (* eufemismo1 - aplica-se aqui a mesma nota de rodapé), morrem de amores pelo Sócrates), há coisas que são como o Cometa Halley. Vêem-se uma vez na vida, no máximo duas. E trazem, na sua cauda, o medo do fim do mundo. Há coisas que, por serem extraordinárias, só podem ser mensageiras de uma excepcional desgraça, como bem sabia o papa Calisto III que excomungou o Cometa Halley. Penso que, tecnicamente, não é possível excomungar uma coisa que, na altura - mil quatrocentos e troca o passo - ainda nem tinha sido baptizada por falta de padrinho. Papa esse, Calisto III, que acrescentou ao final do Pai Nosso (falo de cor, mas parece-me que é a única oração onde encaixa a citação): "Livrai-nos, Senhor, do Diabo, do Turco, e do Cometa". Que eram a Trindade, mas invertida. Ai, se ele conhecesse o 6.º F...

 

1 Quando digo eufemismo, é EUFEMISMO mesmo. Há pessoas que foram canonizadas por menos.

Artigos da mesma série:
publicado por Manuel Anastácio às 00:13
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
.pesquisar