.Últimos bocejos

. Todas as águas

. Todos os poemas

. Hold back your love, Whit...

. Hallelujah Money, Gorilla...

. 4

. 3

. Love & Hate, Michael Kiwa...

. T-shirt weather in the ma...

. Yonkers, Tyler, the Creat...

. 2

. 1

. i

. Anacreonte

. Educação do meu imbigo

. Voltei! Ou talvez não (co...

. Uma arte, de Elizabeth Bi...

. Uma arte, de Elizabeth Bi...

. Manual de Etiqueta e boa ...

. Aurora dos Pinheiros

. Versículos angélicos

. (19/01/2014)

. Cristianismo

. Arbeit macht frei

. Isso

. Limite

. Resignação solene

. LXXVIII

. Florentino Ariza num dia ...

. I've seen horrors... horr...

. Se bem me esqueço

. Enciclopédia Íntima: Pátr...

. LXXVII

. Experimental como o desti...

. Ruy do car(v)alhinho

. LXXVI

. Overgrown, James Blake

. MS MR - Hurricane

. Buscas pedidas: "filmes s...

. Para Thatcher

. S&M

. LXXV

. Mails da treta: Ímans e a...

. LXXIV

. Agnes Obel

. Amar, casar, perverter

. LXXIII

. LXXII

. LXXI

. Amar é dizer parvoíces

. Orgasm (Rock Cave), de Cr...

.Velharias

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Agosto 2016

. Maio 2016

. Janeiro 2015

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Março 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

Sexta-feira, 5 de Março de 2010
As Virgens Ofendidas

"Look Down", de "Les Miserables"

 

Texto publicado ontem no "Povo de Guimarães"

 

Deve o Poder ser acarinhado só porque é Poder? Diz-se hoje que desconfiar de quem governa é manchar a honra dos dignos representantes do Povo, democraticamente eleitos. E considera-se que apenas são representantes do Povo aqueles que, à custa de papas e bolos, conseguiram o beneplácito das multidões. As oposições de esquerda têm sido consideradas, por sua vez, comadres invejosas que dizem mal, nada fazendo no sentido de resolver os problemas reais das pessoas, obcecadas por intenções políticas despesistas e parasíticas que, postas em prática, afundariam o país na miséria. Ouvem-se queixas por qualquer tentativa de fiscalização do Poder e qualquer tentativa de esclarecimento de suspeitas é considerado um ataque baixo contra a integridade moral dos poderosos impolutos, como se o sufrágio fosse um ritual de purificação onde os vencedores renascessem, já não como pessoas, mas como símbolos acima de qualquer desconfiança. Qualquer crítica à sua actuação, qualquer dúvida, qualquer solicitação de explicações é considerada uma injúria perpetrada por um bando de malfeitores motivados por “intuitos político-partidários” que utilizam qualquer causa “menor” para ganhar pontos no jogo político. Teriam sido estes os termos utilizados por Carlos Mota, presidente da Junta de Nespereira, a respeito do aprisionamento de parte da população da freguesia atrás de um viaduto construído a pique e de uma passagem aérea intransitável para muitos, depois do questionamento feito ao Ministério das Obras Públicas pelo deputado Pedro Soares, do Bloco de Esquerda. Claro que este problema não rivaliza, nem de perto, com os problemas maiores de uma população que, à imagem do resto do país, vive assombrada pela precariedade e por um sentimento de impotência perante um futuro onde as expectativas de melhoria de vida soam como um fado sem esperança. Claro que este problema de acessibilidade e de má gestão dos dinheiros públicos (já que a solução reivindicada pela população seria menos onerosa que a que foi implementada) é um problema menor. Muito nos congratulamos pelo facto de o Senhor Presidente da Junta andar a resolver os problemas maiores da população que o elegeu e que o voltará a eleger, com certeza, depois de todo o esforço que está agora a despender na resolução das suas angústias maiores, enquanto os seus adversários políticos o incomodam com ninharias, movidos pelo oportunismo de quem se aproveita de qualquer descontentamento da arraia-miúda.

O mesmo se passa, a outra escala, com o pequeno país onde vivemos. Que ninguém ouse duvidar da rectidão moral do nosso primeiro-ministro. Que ninguém ouse colocar a hipótese de, abaixo dos muitos sinais de fumarada que paira sobre este governo, existir, de facto, enxofre em brasa. Mesmo que houvesse… Não anda tudo atrás do mesmo? No meio de tantos indícios de corrupção, o Povo acaba por pensar que se “lá estivesse, faria o mesmo” e adormece no conformismo. Já estava na hora de acordar e exigir justiça e seriedade. Seria pedir muito?

 

 

Artigos da mesma série:
publicado por Manuel Anastácio às 20:58
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
|
.Nada sobre mim
.pesquisar
 
.Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.Artigos da mesma série

. notas

. cinema

. livros

. poesia avulsa

. só porque

. política

. curtas

. arte

. guimarães

. música

. estupidez

. traduções

. wikipédia

. religião

. poesia i

. gosto de...

. ono no komachi

. narrativas

. tomas tranströmer

. buscas pedidas

. plantas

. arquitectura

. blogues

. enciclopédia íntima

. blogs

. braga

. fábulas de esopo

. as quimeras

. gérard de nerval

. carvalhal

. animais

. cultura popular

. disparates

. Herbário I

. poesia

. póvoa de lanhoso

. estevas

. pormenores

. umbigo

. bíblia

. ciência

. professores

. vilar formoso

. barcelos

. cinema e literatura

. coisas que vou escrevendo

. curtíssimas

. Guimarães

. rádio

. receitas

. ribeira da brunheta

. teatro

. vídeo

. da varanda

. economia

. educação

. família

. leitura

. lisboa

. mails da treta

. mértola

. Música

. os anéis de mercúrio

. cachorrada

. comida

. cores

. dança

. diário

. direita

. elogio da loucura

. escola

. esquerda

. flores de pedra

. hip hop

. história de portugal

. kitsch

. memória

. ópera

. profissão

. recortes

. rimas tontas

. sonetos de shakespeare

. terras de bouro

. trump

. Álbum de família

. alunos

. ângela merkel

. arte caseira

. aulas

. avaliação de professores

. ayre

. benjamin clementine

. citações

. crítica

. ecologia

. edgar allan poe

. ensino privado

. ensino público

. evolucionismo

. facebook

. todas as tags

.O que vou visitando
.Segredos
  • Escrevam-me

  • .Páginas que se referem a este site

    referer referrer referers referrers http_referer
    .Já passaram...
    .quem linka aqui
    Who links to me?
    .Outras estatísticas
    eXTReMe Tracker
    blogs SAPO
    .subscrever feeds