Domingo, 2 de Agosto de 2009
Em dor, abandona o grão a espiga.

Manguais. Museu Municipal de Oliveira de Frades. Foto minha em Creative Commons

 

Amarga-me o sabor da hipocrisia disfarçada em diplomacia. Sou pelos ministros que fazem chifres. Enquanto os fazem, sabemos que neles existe sangue e fogo e não apenas uma enorme boca de fantoche por onde espreitam os vermes da corrupção. Eu sou pelos que destilam a raiva em baba, desde que nela não afoguem ninguém. Sou pelos que gritam e que se inflamam e defendem aquilo em que acreditam como se fossem loucos varridos. Não sou pelos que, mantendo a pose marcial e a paz olímpica do rosto, sopram o fogo sob o corpo subjugado e atado ao pelourinho daqueles que se atrevem a ser e os expõem como troféus do seu poder. A agressividade existe no ser humano de forma natural; arde nele como a própria vida. A cada um cabe transformar os gestos de violência em palavras e em formas, mas jamais calá-los em sorrisos de chumbo. Não é pelas palavras, nem pelo tom, nem pela cor da face, nem pelo fogo insano dos olhos que seremos julgados quando postos frente a nós mesmos, mas pelos actos e intenções (sim, também essas contam, embora digam que o Inferno delas está cheio). Não gosto de pazes podres. Sinto-me como um fogo-fátuo, inflamado e horroroso, pairando sobre a branca desaprovação das lápides, nascido embora da mesma sensata e correcta podridão. Mas o dia nasce, o sol levanta-se, e com ele empalideço. E, lentamente, me apago.

Artigos da mesma série:
publicado por Manuel Anastácio às 21:59
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
3 comentários:
De Luís Bonifácio a 3 de Agosto de 2009 às 10:11
Também sou da mesma opinião. Sempre preferi aqueles lobos que se vestem com peles de Lobos (Pinochet, Franco, Salazar, etc) que os Lobos que vestem peles de cordeiro (Castro, Sung, Mugabe, etc
De Manuel Anastácio a 3 de Agosto de 2009 às 13:30
Pois eu creio que é apenas uma questão de perspectiva. Há muita gente que só vê Salazar, Pinochet e Franco na pele branca dos cordeiros eucarísticos com que se vestiam. Por outro lado, não consigo ver, sequer, a pele de cordeiro em Mugabe ou Kim Il-Sung. Castro sim, é um lobo em pele de cordeiro. A minha preferência não vai para qualquer dos lados. Todos eles fizeram, infelizmente, mais que gestos reprováveis. Todos eles afogaram os inimigos no sangue dos oprimidos e na baba dos opressores. Todos me enojam.
De Gerana a 3 de Agosto de 2009 às 16:48
"Mas o dia nasce, o sol levanta-se, e com ele empalideço. E, lentamente, me apago".
Vc faz poesia mesmo quando não está tratando de poesia!

Não gosto de me meter, mas creio que tanto vc aí, quanto eu aqui, temos pelo menos o privilégio de não termos vivido as respectivas ditaduras.

Dizer de sua justiça

.pesquisar