Sexta-feira, 24 de Julho de 2009
Mails da treta: Queimaduras e clara de ovo

"La calunnia è un venticello" do Barbeiro de Sevilha de Rossini; Cristian Hodrea como Bartolo, Zoltan Nagy como Don Basilio, Ópera Romena de Cluj-Napoca. Direcção de Horvath Jozsef. 3 de Abril de 2008

 

Quase todos os dias recebo na caixa de correio electrónico várias cartinhas, geralmente em forma de Powerpoint que, quase invariavelmente, se destinam apenas à divulgação de mentiras, boatos ou mensagens mais perigosas, que vão desde a mais vulgar e bárbara recomendação médica alternativa a mensagens onde se veicula a mais idiota e crédula xenofobia. Enfim, coisas que não aparecem publicadas em lugar algum que seja credível. Mas os autores das brincadeiras sabem que mais de metade dos seus leitores acreditarão na balela e a enviarão pelo mundo fora em menos de dois dias. Sei que os adeptos das teorias da conspiração, e são muitos, crêem que os principais órgãos de comunicação andam todos mancumunados com empresas multinacionais, órgãos de poder político e lóbis de todo o género. E estão. Mas é preciso espírito crítico e não acreditar no primeiro milagreiro que bate à porta ou de coisas que "andam na net".

 

Diz o texto:

Num curso de "AGENTE DE SAÚDE COMUNITÁRIA" ensinaram que, na hora da queimadura, seja lá a extensão que for, a primeira providência é colocar a parte afectada debaixo de água fria corrente até que o calor diminua e pare de queimar muitas camadas de pele e, depois, passar clara de ovo, levemente batida, só para que seja mais fácil de aplicar.


Uma pessoa queimou grande parte das mãos ao deixar cair água a ferver da cafeteira. Colocou então a mão debaixo da torneira bastante tempo, para tirar o calor e a violenta dor inicial. Então, abriu 2 ovos e separou as claras, bateu um pouco, e ficou com a mão na clara.

A mão estava tão queimada que, assim que ela colocava a clara em cima, secava e ficava uma película chamada colagénio natural. Ficou algum tempo a colocar camadas de claras na mão. À tarde, não sentiu mais dor e, no dia seguinte, apenas havia a marca vermelha arroxeada onde se tinha queimado. Depois de 10 dias não havia nenhuma marca da queimadura. Nem a cor da pele mudou. Aquela parte queimada foi totalmente recuperada pelo colagénio existente na clara de ovos que, na verdade é uma placenta e é cheia de vitaminas.


Divulgue esta mensagem, pois sempre existe alguém que pode precisar !!...

 

O texto está cheio de conceitos alternativos de uma barbaridade lancinante. É certo que a clara de ovo poderá ter alguma analogia com uma placenta, já que contém grande parte das proteínas que alimentarão o embrião do pintainho, caso a natureza corra o seu curso, antes de um qualquer predador fazer dele o seu almoço. Mas a placenta é uma estrutura que existe apenas em animais vivíparos onde se efectuam as trocas entre o sangue materno e do embrião ou do feto. De modo algum se poderá dizer que a clara de ovo "na verdade é uma placenta". A frase reza:  "colagénio existente na clara de ovos que, na verdade é uma placenta e é cheia de vitaminas", aproveitando-se da mesma linguagem enganosa utilizada na publicidade da indústria cosmética que, até ao advento das vacas loucas, utilizou placentas de bovinos nos seus produtos de beleza para a pele. As vitaminas presentes na clara de ovo existem, com certeza, mas tenho as minhas dúvidas que a sua quantidade sirva de algo numa queimadura. E, além das vitaminas, o autor omite o facto de poderem existir também quantidades apreciáveis de bactérias que, essas sim, poderão fazer a diferença (para pior) em certas queimaduras.

 

Mas o texto começa logo por dizer que a informação foi veiculada num qualquer curso de agente de saúde comunitária. Não se diz onde, nem quem foi o formador, nem onde é que ele se baseou em tal informação. Claro que num curso destes (creio eu que a ocupação de agente comunitário de saúde apenas existe no Brasil) poderá (eu não sei) acontecer que alguém ensine as mezinhas lá de casa. Nada contra as mezinhas. Mas há que ter cuidado e não confundir alguns procedimentos tradicionais que poderão ser úteis com práticas alternativas que podem ser desastrosas. E é uma questão de tempo até que alguém venha a sofrer na pele (ou no que restar dela) os efeitos da sua sua credulidade, até porque a mezinha, com este mesmo texto está mais disseminada que o vírus da gripe A.

 

Claro que o texto se refere a uma queimadura de grau não especificado. A senhora queimou-se com água a ferver e parou imediatamente o processo de queimadura com água fria. A clara de ovo pode ter tido um efeito benéfico. Não é pelo facto de que, tanto quanto eu sei, não existir qualquer investigação científica que comprove qualquer efeito da clara de ovo sobre as queimaduras, que esse efeito não existe. A Ciência não sabe tudo, e não é por não saber que passa imediatamente a ser mentira ou falsidade. Muita verdade existirá nas mezinhas, mas é preciso ter cuidado, porque com a verdade das mezinhas vem muito perigo à mistura e, ainda por cima, se algo correr mal, não teremos nenhum médico a quem pedir uma choruda indemnização.

 

No caso de uma queimadura de primeiro grau, não se formará qualquer cicatriz permanente, existindo apenas um vermelhão. Nesse caso, pode ser que a clara de ovo faça alguma coisa, nem que seja apenas efeito placebo.

 

Nas queimaduras de segundo grau, a derme é mais ou menos afectada, a epiderme solta-se, os vasos sanguíneos rompem-se e libertam plasma que se vai acumular abaixo da derme, formando uma bolha. Neste caso, poderá ficar uma cicatriz, mas duvido muito que, no caso da senhora da cafeteira, a queimadura tenha sido tão profunda - a água fria pode ter ajudado muito a parar de imediato o processo de destruição da pele. A aplicação da clara de ovo poderá ajudar? Talvez. Mas é melhor não acreditar em milagres. O aparecimento ou não de cicatriz vai depender apenas do grau de profundidade da queimadura e não da aplicação de clara de ovo ou de qualquer outro produto, por mais XPTO que seja. Mas o tratamento a dar à bolha varia muito consoante o seu tamanho e gravidade. Uma bolha pequenita pode aguentar-se, mas em caso de dúvida, é melhor ir ao médico, sim. 

 

Na queimadura de terceiro grau, a pele é de tal modo destruída que as próprias terminações nervosas vão para o caneco e nem se forma bolha. Claro que neste caso é preciso é ir para o hospital o mais rapidamente possível e não dirigir-se ao frigorífico para fazer omeletes, por mais ligeiras que sejam. No caso de uma queimadura de quarto grau, em que a mesma se prolonga para além da pele e afecta estruturas internas, nem vale a pena falar.

 

E, agora, mandem este artigo a todos os vossos amigos. Alguém pode vir um dia a precisar. Principalmente se tiver estado demasiado tempo a ler mails da treta.

 

Porque é que eu tenho a certeza, contudo, de que este mail não vai ter o mesmo sucesso??? Porque será? A mentira e a parvoíce é assim tão mais sedutora?

Artigos da mesma série:
publicado por Manuel Anastácio às 14:59
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
8 comentários:
De Gerana a 25 de Julho de 2009 às 02:40
Por aqui também se recebe e-mail sobre a cura de tudo. Não creio que o da queimadura venha do Brasil se está reproduzido como recebeu, porque nós chamamos "colágeno". Só isso já afasta o Brasil. Mas o agente comunitário de saúde existe e é um profissional que ajuda as comunidades. Eles vão até as casas, dão orientações sanitárias, tratam certas doenças, atendem os carentes... é um trabalho muito especial e muito bacana.
De Manuel Anastácio a 25 de Julho de 2009 às 09:35
É sempre impossível saber qual é o mail original, porque enquanto este se propaga de pessoa para pessoa, há quem faça modificações, traduções e "correcções". A versão onde se diz colágeno também existe e parece ser mais antiga, pelo que se pode ver em outros blogues e páginas disseminadas na Internet...

Quanto ao Agente Comunitário de Saúde, não tenho a menor dúvida de que será uma profissão de grande valor. Não sei é que tipo de formação é que têm. Seja como for, não será este mail a esclarecer-nos. Antes pelo contrário.
De Gerana a 26 de Julho de 2009 às 02:45
É, vai que você deve estar certo. Afinal, tem o lance dos agentes comunitários de saúde.
De Anónimo a 26 de Julho de 2009 às 14:39
como não sei o que dizer ... que outros digam por mim:
http://www.youtube.com/watch?v=R_vIy5uQuhY
De glaucia lemos a 8 de Agosto de 2009 às 12:55
Muito sensato seu comentário sobre a mezinha da clara do ovo para queimaduras. Há de fato verdadeiras crendices nessas mezinhas. nÃO SEI DIZER SOBRE A CLARA DE OVO, mas conheço uma de fazer estarrecer. Minha mãe comentava, na minha infância, que existia no interior do nordeste brasileiro uma maneira estranha de cuidr os umbigos das criancinhas recem-´nascidas. Pasme! aplicava-se uma capinha de fumo de corda, é o mesmo fumo em rolos, com teia de aranha, no umbigo a que se havia seccionado a tripa da placenta, A finalidade era a cicatrização rápida. Imagine1
De Luiza a 4 de Novembro de 2009 às 00:38
No que recebi é assinado por um "departamento de ficologia" de sabe-se lá onde. Bem, ficologia é estudo das algas. O que alga tem a ver com ovo?? ¬¬
De AFCS a 31 de Maio de 2012 às 19:21
Acontece que a Clara de ovo tem uma composição bioquímica excelente para o tratamento das queimaduras. Proteínas do tipo das albuminas e do colagénio são usadas nos EUA no tratamento médico e cirúrgico da pele queimada. Procurem por "collagen" "burns" "treatment" e encontrarão
De Manuel Anastácio a 7 de Junho de 2012 às 12:52
AFCS: indique-me um artigo científico que seja que diga aquilo que está a defender. Uma pesquisa como a que sugere não nos esclarece em nada.

Dizer de sua justiça

.pesquisar