Quarta-feira, 27 de Maio de 2009
Buscas pedidas: "É mentira, é mentira, é mentira sim senhor"

Teresa Żylis-Gara e Franco Corelli, no Già nella notte densa do "Otello" de Verdi. Porque me apetece. Ou talvez seja uma associação entre a tez de Otello e a das azeitonas... sabe-se lá...

 

 Alguém caiu de novo no meu blogue à procura de uma letra do Tony Carreira. Por incrível que pareça, encontrou-a. E disse que o meu blogue já tinha servido para alguma coisa. Valha-nos isso. E pediu: já agora podias dar a letra do "É mentira, é mentira, é mentira sim Senhor"? Claro, sempre às ordens. A canção, de melhor valor poético que uma letra do Paulo Coelho, perdão, do Tony Carreira, não tem o título indicado pelo meu leitor casual e que provavelmente não aqui voltará à procura dela, mas aquele que agora apresento a negrito. Por hoje é tudo. Tenho três livros a pedirem palavras minhas por aqui e ainda não li nenhum. Ide às azeitonas e ponde uma, acabada de apanhar, na boca. Acreditavam os meus colegas de escola que após algum tempo apareceria gravada na casca a inicial da pessoa amada. Ide. Fazei. Lede. Se vos aprouver.

 

A Azeitona já está preta

A azeitona já está preta, a azeitona já está preta,
Já se pode armar aos tordos, já se pode armar aos tordos
Diz-me linda rapariga, diz-me linda rapariga,
Como vais de amores novos, como vais de amores novos.

É mentira, é mentira
É mentira, sim senhor
Eu nunca pedi um beijo
Quem mo deu foi meu amor!!!
É mentira, é mentira
É mentira, sim senhor
Eu nunca pedi um beijo
Quem mo deu foi meu amor!!!

Ai que lindo chapéu preto, ai que lindo chapéu preto
Naquela cabeça vai, naquela cabeça vai...
Ai que lindo rapazinho, ai que lindo rapazinho
Para genro do meu pai, para genro do meu pai...

É mentira, é mentira
É mentira, sim senhor
Eu nunca pedi um beijo
Quem mo deu foi meu amor!!!
É mentira, é mentira
É mentira, sim senhor
Eu nunca pedi um beijo
Quem mo deu foi meu amor!!!

Quem me dera ser colete, Quem me dera ser colete,
Quem me dera ser botão, Quem me dera ser botão,
Para andar agarradinha, Para andar agarradinha,
Juntinha ao teu coração... Juntinha ao teu coração...

Artigos da mesma série:
publicado por Manuel Anastácio às 22:11
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
2 comentários:
De Paulo a 28 de Maio de 2009 às 02:43
Muito bem lembrado.
De Rui Bem a 28 de Março de 2012 às 11:39
Muito bem dito, mas acho que o titulo da canção também não é o por si escrito a negrito, mas sim: " Chapéu preto"

Dizer de sua justiça

.pesquisar