Sábado, 7 de Fevereiro de 2004
El desdichado, de "As Quimeras" de Gérard de Nerval

O sombrio, - o viúvo, - inconsolado,

 Eu, príncipe da Aquitânia vazia

 Minha estrela, a morte. Salter constelado

 Meu, soa um sol negro, Melancolia.

 

 Na noite tumular me hás consolado:

 A Pausilipo, flor que me aprazia,

 Ao mar de Itália, meu cor desolado,

 E a latada onde a vide à rosa alia.

 

 Lusignan?… Biron? Febo ou Amor hei?

 Inda do beijo da rainha coro

 E em sonho, em antro de sereia moro…

 

 O Aqueronte, vencedor, varei

 Repetido. A par, na lira de Orfeu,

 Som que a santa, como a fada, gemeu.

 

(versão de Manuel Anastácio)

Artigos da mesma série: ,
publicado por Manuel Anastácio às 02:05
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
.pesquisar