.Últimos bocejos

. Todas as águas

. Todos os poemas

. Hold back your love, Whit...

. Hallelujah Money, Gorilla...

. 4

. 3

. Love & Hate, Michael Kiwa...

. T-shirt weather in the ma...

. Yonkers, Tyler, the Creat...

. 2

. 1

. i

. Anacreonte

. Educação do meu imbigo

. Voltei! Ou talvez não (co...

. Uma arte, de Elizabeth Bi...

. Uma arte, de Elizabeth Bi...

. Manual de Etiqueta e boa ...

. Aurora dos Pinheiros

. Versículos angélicos

. (19/01/2014)

. Cristianismo

. Arbeit macht frei

. Isso

. Limite

. Resignação solene

. LXXVIII

. Florentino Ariza num dia ...

. I've seen horrors... horr...

. Se bem me esqueço

. Enciclopédia Íntima: Pátr...

. LXXVII

. Experimental como o desti...

. Ruy do car(v)alhinho

. LXXVI

. Overgrown, James Blake

. MS MR - Hurricane

. Buscas pedidas: "filmes s...

. Para Thatcher

. S&M

. LXXV

. Mails da treta: Ímans e a...

. LXXIV

. Agnes Obel

. Amar, casar, perverter

. LXXIII

. LXXII

. LXXI

. Amar é dizer parvoíces

. Orgasm (Rock Cave), de Cr...

.Velharias

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Agosto 2016

. Maio 2016

. Janeiro 2015

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Março 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

Sexta-feira, 13 de Fevereiro de 2009
Conformes à sua espécie

A elipse de "2001: Odisseia no Espaço", de Stanley Kubrick

Escrevia, ontem, um aluno meu, num teste, que a "famia e o macho [da ave-do-paraíso] têm dimorfismo sequessual." Não está mal do ponto de vista científico. Está pior do ponto de vista do desacordo ortográfico. Mas só me lembrei disto por causa de, hoje, só se falar de Darwin, enquanto por estas bandas se discute a bondade e a beleza da criação. Claro que Darwin nunca negou a intervenção divina na evolução das espécies. E qualquer pessoa religiosa com meio palmo de testa sabe que a evolução é um ponto assente. Muito se terá ainda a descobrir quanto aos mecanismos pela qual funciona, mas o essencial é claro como a água. As aves, os insetos, os moluscos e todos os animais que rastejam não foram criados conformes à sua espécie. O conceito de espécie é, aliás, espinhoso. Quando os meus alunos me fazem a clássica pergunta do "Quem nasceu primeiro: o ovo ou a galinha", eu respondo, como professor de Ciências Naturais consciente da enormidade do criacionismo que, se ele quiser acreditar em certas correntes ideológicas não científicas (e perigosas), o que nasceu primeiro foi a galinha. Deus não ia criar um ovo sem que houvesse outra galinha a chocá-lo, e a ideia de usar uma chocadeira parece-me blasfema. Mas, de acordo com a Teoria da Evolução, é ponto assente que nasceu primeiro o ovo. E quem pôs o ovo? Um animal parecido com uma galinha, e que, eventualmente, até poderia ser confundido actualmente com uma galinha. Mas que não era uma galinha. Ou era uma galinha (porque provavelmente se poderia reproduzir com outra galinha - ou melhor, com um galo) mas com algumas características que não coincidiriam com a definição pormenorizada que hoje podemos ter de uma galinha, incluindo o retrato-tipo da sua informação genética. Claro que quando estou a tentar explicar esta última parte, já o aluno deve estar a pensar que eu não devo bater bem da bola. Por isso, deixo o aluno pensar, contente, num dinossauro a pôr um ovo de onde sai uma galinha. É uma elipse, algo semelhante à do 2001 Odisseia no Espaço, mas perfeitamente aceitável para um aluno que ainda nem sequer sabe o que é o núcleo de uma célula.

 

Ora, que nasceu primeiro: o ovo ou a ave-do-paraíso, a tal que tem um dimorfismo sequessual muito pronunciado? A resposta poderia ser semelhante à da galinha, mas eu prefiro perguntar quem é que apareceu primeiro: o macho da ave-do-paraíso, bicho vistoso e saltitão (e que provocou largas gargalhadas numa aula)(...)

Parada nupcial da ave-do-paraíso (BBC Channel Planet Earth).

 

(...) ou a mais discreta fêmea? Confesso que não sei a resposta. O macho é aquele que produz células que se movem; a fêmea é aquela que guarda as células que esperam pelas células que se movem. Depreendo que tudo tenha começado com células a fazerem troquinhas de material genético. Mas quando é que uma rebanhada de células começou a perseguir  uma outra, específica, tornada objecto de competição, é coisa para a qual não tenho os conhecimentos científicos necessários para levantar uma hipótese-para-aluno-ouvir minimamente digerível.

 

Quanto ao dimorfismo sequessual da ave-do-paraíso, lembrei-me dele por causa da maçã de Adão, objecto mitologico-alegórico transformado em caracter sexual secundário (as tais diferençazinhas entre macho e fêmea sem contar com as ditas cujas) da espécie humana. Maçã que não poderia ser o fruto proibido, se o fruto fosse, de facto, um fruto na acepção botânica actual. A maçã é um pseudo-fruto, ou pelo menos é assim designada a sua parte comestível (o fruto será o coração onde se encerram as sementes: aquele que, cortado transversalmente, dá a ver uma estrela nunca antes vista) já que não provém de nenhum tecido do ovário da planta. Ou seja, escolheu-se para fruto da tentação uma coisa que apenas aparenta ser o que é, mas não é. Um frutóide, diria o meu aluno. E eu aprovaria a criatividade vocabular.

Artigos da mesma série: , ,
publicado por Manuel Anastácio às 01:21
link do post | Dizer de sua justiça | Adicionar aos favoritos
|
.Nada sobre mim
.pesquisar
 
.Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.Artigos da mesma série

. notas

. cinema

. livros

. poesia avulsa

. só porque

. política

. curtas

. arte

. guimarães

. música

. estupidez

. traduções

. wikipédia

. religião

. poesia i

. gosto de...

. ono no komachi

. narrativas

. tomas tranströmer

. buscas pedidas

. plantas

. arquitectura

. blogues

. enciclopédia íntima

. blogs

. braga

. fábulas de esopo

. as quimeras

. gérard de nerval

. carvalhal

. animais

. cultura popular

. disparates

. Herbário I

. poesia

. póvoa de lanhoso

. estevas

. pormenores

. umbigo

. bíblia

. ciência

. professores

. vilar formoso

. barcelos

. cinema e literatura

. coisas que vou escrevendo

. curtíssimas

. Guimarães

. rádio

. receitas

. ribeira da brunheta

. teatro

. vídeo

. da varanda

. economia

. educação

. família

. leitura

. lisboa

. mails da treta

. mértola

. Música

. os anéis de mercúrio

. cachorrada

. comida

. cores

. dança

. diário

. direita

. elogio da loucura

. escola

. esquerda

. flores de pedra

. hip hop

. história de portugal

. kitsch

. memória

. ópera

. profissão

. recortes

. rimas tontas

. sonetos de shakespeare

. terras de bouro

. trump

. Álbum de família

. alunos

. ângela merkel

. arte caseira

. aulas

. avaliação de professores

. ayre

. benjamin clementine

. citações

. crítica

. ecologia

. edgar allan poe

. ensino privado

. ensino público

. evolucionismo

. facebook

. todas as tags

.O que vou visitando
.Segredos
  • Escrevam-me

  • .Páginas que se referem a este site

    referer referrer referers referrers http_referer
    .Já passaram...
    .quem linka aqui
    Who links to me?
    .Outras estatísticas
    eXTReMe Tracker
    blogs SAPO
    .subscrever feeds